— —

Aonde você guarda seu preconceito?

A visita Papal dos últimos dias dominou a atenção da mídia de tal maneira que uma data importante foi esquecida, o 13 de maio. Não digo isto pelo dia das mães, digo por uma ocasião muito mais importante num país como o nosso, Abolição da Escravatura.

Muito se falou sobre o aborto e questões religiosas esquecendo que boa parte destes fiéis que tão bem recepcionaram o Papa Bento XVI é negra ou afro-descendente.

Os movimentos de valorização do negro têm evitado associar um condão comemorativo à esta data por enfatizar muitas vezes a “generosidade” da princesa Isabel, ou seja, ser uma celebração da atitude de uma branca mas isto não impede que esta seja uma data para refletir sobre a situação atual dos negros no país e sobre o preconceito de um modo geral.

Segundo o IBGE, no Brasil os negros são correspondentes a menos de 10% da população. Os chamados “pardos”, no entanto, que são mestiços de negros com europeus ou índios, chegam a um número próximo da metade da população.
Entre a população negra jovem (especificamente no segmento de 15 a 17 anos), 36,3% cursaram ou cursam o ensino médio; entre os brancos, a parcela é de 60%. Entre aqueles que têm até 24 anos, 57,2% dos brancos haviam atingido o ensino superior, contra apenas 18,4% dos negros.
O rendimento médio da população branca no Brasil é de R$ 812,00; já a dos negros é de R$ 409,00. Entre a parcela de 1% dos mais ricos do país, 86% são brancos.

Muito embora a Lei Brasileira tenha tido alguns avanços em favor da comunidade negra e afro-descendente (Lei do racismo, cotas nas universidades), ainda assim, diante destes dados estatísticos, fica patente que ainda estamos aquém do ideal na questão do preconceito racial e social no Brasil.

Talvez não tenham mencionado a data pois além de termos influência cultural, na música, dança, linguagem, temos sem dúvida alguma influência religiosa deste povo de cultura tão rica!

Na contra-mão dos canais de tv aberta o Canal Futura exibiu no fim de semana uma série de programas exaltando a cultura negra, possivelmente alguns programas serão reprisados ao longo da semana, tendo oportunidade assista.

Avalie, certamente no seu dia-a-dia existe alguma influência afro portanto, tire o preconceito do armário e jogue fora!

Ao negros do Brasil todo meu respeito e admiração.

Para saber mais:

Anna Carla

Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

Comente