E se não der coragem, der medo, vai com medo mesmo

E não precisa passar recibo do seu medo, da sua coragem, do seu foco ou da sua determinação, mesmo. E está tudo bem.

Basta navegar um pouco no Instagram para se deparar com uma chuva de imagens bonitas com frases motivacionais na legenda “foco, força e fé” “coragem de mudar” “eu posso, eu consigo” “tá pago” e etc.

Não é à toa que o Instagram foi considerado , segundo uma pesquisa recente feita no Reino Unido, a rede social mais nociva à saúde mental, especialmente  dos jovens. No Insta todo mundo é bonito, todo mundo viaja, frequenta as festas mais animadas, todo mundo come comidas deliciosas e faz ginástica T-O-D-O-S – O-S-D-I-A-S sem ficar dolorido no dia seguinte.

Offline

Eu acompanho muita gente bacana, que me acrescenta algo,  nas redes sociais e vez ou outra, vejo gente necessitando ficar offline. Seja porque a vida real está com mais demandas ou porque a vida virtual está gerando demandas demais.

O curioso disso é que as pessoas, com raras exceções, tem a necessidade de “passar recibo” ou seja, dar satisfação de que está se afastando de uma determinada rede social. Isso sem necessariamente reconhecer o motivo real desse afastamento. Reconhecer e abraçar as próprias necessidades é um ato de coragem.

Reconhecimento que liberta

Seja pelo discurso insistente de haters ou prezando a própria sanidade mental ainda tem gente que reconhece publicamente suas “fraquezas” e  se afastam das redes e quando perguntadas sobre a razão do afastamento tem coragem de ser sinceras, especialmente consigo mesmas e com seus valores.

Dois exemplos são a Paola Altheia do Não Sou Exposição e a Ticiane Toledo do Alimentando a Autoestima. Aliás, se você não segue ainda, recomendo fortemente que o faça.

Reconhecer as próprias necessidades e respeitar o seu ritmo interno é libertador!

Publicidade

Está tudo bem

Vida de novela não existe, nem a família real britânica tem uma vida perfeita.

O arroz queima, o bolo sola, a gente leva um tombo na rua a caminho da academia, o gato  faz a maior bagunça com a caixa de areia, os filhos lindos brigam, tem gritaria, tem confusão… E está tudo bem.

A gente precisa se libertar do desejo pela validação externa, dessa necessidade do like, do coraçãozinho.

Fez uma comida incrível, curta o seu jantar em família e não precisa fotografar. Foi na academia, suou, não precisa fotografar. Porque ninguém tira foto do corpo dolorido no dia seguinte. E está tudo bem.

Superação

Há 12 anos vivo com artrite reumatóide e todos os dias é como se eu desse um salto como esse da foto, mas não compartilho porque essa superação é minha, só minha. Vou dizer é muito bom ter algo de seu, ainda mais nos dias de hoje que só falta a gente fazer xixi de porta aberta.

Medo e coragem

Coragem

substantivo feminino
  1. 1.
    moral forte perante o perigo, os riscos; bravura, intrepidez.
  2. 2.
    firmeza de espírito para enfrentar situação emocional ou moralmente 

Logo, coragem não é a ausência de medo. É um fortalecimento interno da sua moral diante do perigo ou de algo que você teme. Muita gente teme ser rejeitado publicamente, perder seguidores e a coisa toda. Não precisa disso, está tudo bem.

Dá uma olhada nesse vídeo.

Youtube

O blog existe desde 2006 e daqui da minha zona de conforto, em frente a uma telinha branca, eu vi muita coisa acontecer e mudar, vi muita blogueira virar  youtuber da noite para o dia, assisti muita gente que produzia conteúdo incrível no blog morrer na praia do Youtube, assim como muita gente razoável como blogueira despontar como  excelente youtuber e lógico, gente que é e continua sendo blogueira incrível e acrescentou muito mais com seu canal no Youtube.

A necessidade de ampliar os veículos de comunicação com vocês estava ali, latente. Mas junto com essa necessidade tinha também um monte de medos, desculpas pautadas na “falta de equipamento apropriado” falta de assunto, dificuldade em editar vídeos, e um certo receio de falar em público online.

Mas como coragem não é a ausência de medo, eu respirei fundo e me enchi de coragem para colocar a mão na massa. Tenho estudado nos últimos tempos, comprei alguns equipamentos, e tenho anotado ideias de roteiro.

Me ajuda?

No começo do ano soltei uma pesquisa na fanpage e só leva alguns minutinhos para você responder.Isso vai me ajudar a direcionar o conteúdo que já produzo por aqui e me guiar para a produção dos meus vídeos no Youtube.

Se quizer adiantar as coisas e já se inscrever no canal, por favor, fique à vontade! Clique aqui.

Desde já agradeço muito, até qualquer hora!

Anna Carla

Santista ”da gema”. Uma mulher dos anos 50 nascida em 73. Mãe da Sofia desde 2004 e do Joaquim desde 2010. Advogada formada pela Universidade Católica de Santos desde 2001. Costumo dizer que me interessam coisas legais em sentido amplo e estrito. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.
Veja o perfil completo.


Anna Carla

Anna Carla

Santista ”da gema”. Uma mulher dos anos 50 nascida em 73. Mãe da Sofia desde 2004 e do Joaquim desde 2010. Advogada formada pela Universidade Católica de Santos desde 2001. Costumo dizer que me interessam coisas legais em sentido amplo e estrito. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer. Veja o perfil completo.

Comente

error: Copyright © 2006 - 2018 por Anna Carla Lourenço do Amaral - Todos os direitos reservados.