música

Com dois concertos gratuitos, João Guilherme Figueiredo celebra 35 anos de trajetória

Violoncelista e gambista, celebra 35 anos de trajetória em dois concertos dedicados à música barroca

 

Especializado em música barroca, o músico João Guilherme Figueiredo toca violoncelo barroco e viola da gamba e
para celebrar sua trajetória musical de 35 anos, João Guilherme Figueiredo realiza em São Paulo, no Teatro Cacilda Becker − nos dias 13 e 14 de Dezembro de 2017, às 18 horas − dois concertos gratuitos, promovidos pela Associação Mundo Solidário.

Nesses concertos, João Guilherme Figueiredo apresenta um programa de música barroca com instrumentos originais de época − a sua especialidade.

Figueiredo, que é no Brasil um dos raros músicos que toca tanto a viola da gamba como o violoncelo barroco, será o solista em duas das quatro peças do programa, e vai atuar também como diretor musical e regente da Orquestra Histórica do Brasil.

Formada por Figueiredo há alguns anos, a Orquestra Histórica do Brasil − grupo de cordas (violinos, violas, violoncelos e contrabaixo barrocos) acrescido de cravo, flauta doce e teorba − se dedica à música barroca dos séculos XVII e XVIII, buscando sempre a forma mais autêntica de execução, historicamente orientada. O grupo estará no palco com quinze músicos, todos eles tocando instrumentos originais ou réplicas de instrumentos de época.

Obras dos Séculos XVII e XVIII

O programa dos dois concertos tem obras compostas entre os anos 1690 e 1730.
De Vivaldi, um dos mais prolíficos compositores do período barroco, a Sinfonia (Abertura) da ópera L’Olimpiade, seguida pelo Concerto para violoncelo − este tendo João Guilherme Figueiredo como solista.
De Telemann, o Concerto para flauta doce e viola da gamba. Uma das peculiaridades dessa obra está na inspiração que o compositor foi buscar em temas da música folclórica polonesa, que conheceu quando esteve naquele país a serviço da corte do conde Erdmann II de Promnitz. Os solistas serão Figueiredo na viola da gamba e Vinicius Chiaroni na flauta doce.
A peça final é uma bem conhecida obra de Corelli, especialmente oportuna para este período de festas: o Concerto “Fatto per la Notte di Natale”.

Para comprar online acesse http://rede.natura.net/espaco/annacarla
Publicidade

 

Foco na música barroca

João Guilherme Figueiredo tinha treze anos quando começou a estudar música. Hoje, 35 anos depois, olha para trás e percebe que tem uma rica vivência musical e muita história pra contar.

O músico paraense desde cedo se deixou fascinar pela música e pelos instrumentos antigos, especialmente dos séculos XVII e XVIII. Em busca de seu sonho, em 1990 foi estudar no Conservatório Real de Haia, na Holanda. Foi o primeiro violoncelista brasileiro a estudar na veneranda instituição, fundada em 1826 e para onde afluem músicos de todas as partes do mundo que querem se especializar em música barroca.

Em Haia, foi aluno de Jaap ter Lindem, um dos mais importantes violoncelistas e gambistas no cenário da música antiga internacional. João Guilherme ficou cinco anos na Holanda, desenvolvendo estudos de seus instrumentos e também de regência, e tocando música antiga em diversas orquestras e grupos.

De volta ao Brasil, continuou sempre focado na música barroca. Tem tocado em palcos de todo o País, ministra aulas e masterclasses e participa de praticamente todos os festivais brasileiros de música antiga, com destaque para o tradicional Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga, que há 28 anos se realiza em Juiz de Fora. Aliás, já em 1988 participou da fundação do grupo Solistas de Câmara do Centro Cultural do Pró-Música de Juiz de Fora, juntamente com Luís Otávio Santos e Pedro Couri Neto. E, desde 2000, participa das gravações dos CDs e DVDs da Orquestra Barroca do Festival.

Por conta de sua especialização, João Guilherme Figueiredo integra o Núcleo de Música Antiga da EMESP-Escola de Música do Estado de São Paulo e é, há quase dez anos, professor de violoncelo barroco e viola da gamba do Conservatório de Tatuí. Lá, criou dois grupos pedagógicos, o Ensemble de Performance Histórica e a Orquestra Barroca do Conservatório, e participou de dois dos Encontros Internacionais de Performance Histórica do Conservatório de Tatuí.

Nos últimos dez anos vem realizando também pesquisas com a dança barroca, com as professoras Raquel Aranha e Clara Couto, e estudos de música árabe na Fundação Tarab de Música Oriental, sob orientação o professor Mário Afonso III.

Serviço

JOÃO GUILHERME FIGUEIREDO
35 anos de trajetória

João Guilherme Figueiredo
violoncelo barroco, viola da gamba

Orquestra Histórica do Brasil
Flauta doce e violino barroco: Vinicius Chiaroni
Violino barroco: Juliano Buosi, Marcus Held, Letizia Taboada Roa,
Fábio Chama, Lucas Biscaro, Carlos Martins, Raquel Aranha, Felipe Natanael
Viola barroca: Jonas Goes, Stetson Madolozo
Violoncelo barroco: Gustavo C. Carloni
Contrabaixo barroco: Jaqueline Macías
Cravo: Vitor Barbeiro
Guitarra barroca e teorba: Ivan Oliveira
Direção artística e regência: João Guilherme Figueiredo

Programa

Antonio Vivaldi (1678-1741)
Sinfonia (Abertura) da ópera L’Olimpiade, RV 725, para orquestra de cordas e contínuo
Allegro. Andante. Allegro Molto
Concerto em lá menor, RV 418, para violoncelo, cordas e contínuo
Allegro
Largo
Allegro
Solista
João Guilherme Figueiredo, violoncelo barroco

Georg Philipp Telemann (1681-1767)
Concerto em lá menor para flauta doce, viola da gamba, cordas e contínuo
Grave
Allegro
Afettuoso
Allegro
Solistas
Vinicius Chiaroni, flauta doce
João Guilherme Figueiredo, viola da gamba

Arcangelo Corelli (1653-1713)
Concerto grosso em sol menor “Fatto per la Notte di Natale”, Op. 6 Nº 8
Grave. Allegro
Allegro
Adagio. Allegro. Adagio
Vivace
Allegro
Largo. Pastorale ad libitum
Solistas
Juliano Buosi, violino concertato I
Marcus Held, violino concertato II
Gustavo Carloni, violoncelo concertato

Quarta-feira, 13 de Dezembro, 18 horas
Quinta-feira, 14 de Dezembro, 18 horas

TEATRO CACILDA BECKER
Rua Tito 295, Lapa, tel. 3864-4513

INGRESSOS
ENTRADA FRANCA

Os ingressos devem ser retirados na bilheteria do teatro
a partir de uma hora antes do espetáculo

Nº de lugares: 198

Duração: 60 minutos

Indicação etária: Livre

Realização:

Associação Mundo Solidário
Organização sem fins lucrativos criada em 2010 que tem como principal objetivo desenvolver e atuar diretamente em projetos sociais, culturais e comunitários.

Patrocínio:

Prefeitura de São Paulo, Secretaria Municipal de Cultura

Com informações de Matias José Ribeiro

Anna Carla

Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

Comente