eventos, poesia

A poesia de Martins Fontes é tema de Sarau em Santos

A Aliança Francesa de Santos convida o público em geral, para o  Sarau:

“UM AUTOR NA CIRANDA POÉTICA”, coordenado pela ativista cultural e professora Clara Sznifer. O evento tem entrada franca

Este projeto que se realiza mensalmente, tem como objetivo principal  desvendar a obra de um poeta relevante do nosso idioma, de uma maneira lúdica e interativa. Tudo é feito através da exibição de pequenos documentários, imagens, textos, comentários e leitura de poemas, intercalado por belas canções que se relacionam com a temática do escritor, na voz do músico santista Roberto Soares.

Sobre o autor:

José Martins Fontes nasceu às 17h30 do dia 23 de junho de 1884, véspera de São João, no solar de número 139 que sua família mantinha na aprazível Quadra Mauá, lugar que mais tarde receberia o nome de Praça José Bonifácio, na esquina com a Rua Braz Cubas. Era filho do renomado médico, Dr. Silvério Fontes, que foi inspetor de saúde pública do Porto de Santos e um dos mais assíduos colaboradores da Santa Casa de Misericórdia; e de Isabel Martins Fontes, mãe zelosa que ficou ao seu lado até o último suspiro. Logo que aprendeu a ler e escrever, começou a compor versos. Em 1896 lançou seu pequeno jornal manuscrito chamado “A Metralha”, onde publicava suas poesias.

Ingressando na Faculdade de Medicina, logo se destacou e foi chamado para trabalhar em diversos setores, inclusive ao lado do sanitarista Oswaldo Cruz, na profilaxia suburbana. Enquanto estudante produzia belos textos e colaborava em vários jornais. Em 1917, Martins Fontes publica seu primeiro livro, “Verão”. Em 1922, quando surgiu o Movimento Modernista, ele foi totalmente contra, pois não admitia uma poesia com verso livre. Em 1924, foi correspondente da Academia de Ciências de Lisboa. Após a morte de seu pai, em 1928, ele doa a biblioteca dele para a Sociedade Humanitária dos Empregados do Comércio de Santos. É Patrono da cadeira nº 26 da Academia Paulista de Letras.

Sempre se entregou de corpo e alma à profissão, trabalhando na Sociedade Humanitária, na Delegacia de Saúde do Estado dentre outros.  Notabilizou-se como conferencista e foi tisiologista da Santa Casa de Misericórdia de Santos e destacado humanista.

Martins Fontes publicou diversos livros, entre eles: “Verão” (1917), “A Dança” (1919), “A Alegria” (1921), “Marabá” (1922), “Arlequinada” (1922), “As Cidades Eternas” (1926), “Volúpia” (1925), “Rosicler” (1926), “O Colar Partido” (1927), “Escarlate” (1928), “O Mar, A Terra e o Céu” (1929), “A Flauta Encantada” (1931), “Paulistânia” (1934), “Sol das Almas” (1936) e “Canções do Meu Vergel” (1937).

Faleceu em Santos, São Paulo, no dia 25 de junho de 1937.

Para comprar online acesse: http://rede.natura.net/espaco/annacarla
Publicidade

Serviço

Um Autor Na Ciranda Poética: Martins Fontes

Em destaque: exibição do filme premiado com o Facult: “Como é bom ser bom”

Intervenção Musical: Roberto Soares

Data 05 de Agosto de 2017

15:30 horas

Local: Aliança Francesa de Santos

End: rua Rio Grande do Norte,98 Pompeia Santos

Evento gratuito

Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

Comente