carousel, direito digital para blogueiros

O preço da profissionalização, quem paga?

Blogueiros, digital influencers, creators, todo mundo queria a profissionalização mas, tudo tem seu preço

Não é de hoje que venho cantando essa bola… Há um ano e meio atrás quando comecei a série de posts  sobre Direito Digital para blogueiros abordei esse assunto  de que o seu blog ou site, seu canal do Youtube, é SEU, é você quem deve ditar as regras, inclusive no que tange a contratos publicitários, divulgação de produtos e produção de conteúdo.

Falei também que isso tudo deve estar discriminado nos termos de uso do seu blog ou site e/ou no seu midia kit. No momento atual não basta ter audiência, tem que cuidar dela, devemos ser claros quando estamos fazendo publicidade, quando um conteúdo que a gente produziu foi motivado por um contrato.

Baixe aqui seu modelo de termos de uso

O fato é que o pessoal tem se posicionado diante das marcas, independente dos seus números de seguidores e curtidas, de modo profissional e ninguém mais está produzindo conteúdo de qualidade em troca de “mimos” e “brindes” das marcas.

Acredito que, em consequência disso, a ABRADI (Associação Brasileira dos Agentes Digitais) divulgou no último dia 03 um Código de Conduta para a Contratação de Influenciadores, como que abraçando a nova geração de influenciadores e essa necessidade de regulamentar as relações.

Baixe aqui o Código da ABRADI

O Código “coloca no papel” questões que já foram muito discutidas, inclusive aqui no blog e no meu livro, como por exemplo, a necessidade de se identificar posts patrocinados por marcas, e também esclarece para as agências  sobre qual área  o influenciador deve ser contratado e também sobre a forma que isso deve ser documentado.

Para comprar online acesse http://rede.natura.net/espaco/annacarla
Publicidade

Um lugar ao sol, conseguimos

Muito embora esteja sendo super festejado, por aqui não vemos nada de novo já que o Código da ABRADI está em consonância com o Marco Civil da Internet e a nossa legislação vigente. De toda forma acho válido pois é um código de conduta direcionado para as agências de publicidade,  padronizando, criando um procedimento que deve ser seguido por todas e tratando o influenciador como profissional.

Mas o sol também pode queimar

A ANCINE trouxe à tona  nos últimos dias a Instrução Normativa 134 de 9 de maio de 2017, que determina  o registro de material publicitário divulgado na internet  na Agência Nacional de Cinema e incidirá consequente cobrança de imposto sobre ele.

Foi um reboliço  na internet, e muitas  youtubers encheram a caixa de entrada do CBBloggers com dúvidas sobre o assunto e a Hevelyn se informou e fez um post bem bacana pra sossegar a mulherada, leia aqui.

Você deve estar se perguntando, porque eu fiz esse link entre esses dois eventos?

Simples, a ANCINE aproveitou-se do lançamento do Código para lembrar as agências de publicidade dessa Instrução Normativa lá de maio, uma vez que a agência interferir diretamente na produção e execução desse conteúdo patrocinado ELA, A AGENCIA,  tem que registrar e  pagar o referido imposto, ainda que a peça publicitária seja veiculada no canal de um vlogueiro e se utilize da respectiva figura.

Espero sinceramente que isso não seja um entrave nas futuras contratações, já que os contratos serão encarecidos por essa cobrança de imposto. Espero que não voltemos a era dos brindes porque brinde é legal mas não paga as contas no fim do mês, não é mesmo?

Até qualquer hora!

Anna Carla

Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

6 thoughts on “O preço da profissionalização, quem paga?

  1. Que post essencial e tão bem escrito!!! Amo essa área de direito digital, mas ainda tenho muito o que aprender!

    Amei seu blog!! Amei também que temos algumas coisas em comum: também sou advogada, recente moradora de Santos e blogueira (nas horas vagas hahaha)

    Parabéns pelo post e pelo blog!

    Beijos

  2. Que texto excelente, bem escrito, claro. O tal material de qualidade que nao estamos vendo muito por ai.
    Sobre essa questao de blogueiros estarem se posicionando de forma mais profissional, na verdade eu tenho visto um pouco do contrario. Tenho visto “blogueiros” indo atras das marcas, perturbando sem ao menos apresentar um midia kit coeso ou ao menos um texto profissional. Acredito que isso tem diminuido a credibilidade do mercado e dificultado novas pessoas a se posicionarem.
    Sei que nao tem tanto a ver com seu post, mas quis me expressar sobre isso tambem.
    PS: Desculpe a falta de acentos, nao tenho no pc que estou usando.

    Beijoks

    1. Oi Alice, obrigada pelos elogios.
      É importante você colocar seu ponto de vista sim, claro.
      Escrevi o texto com base no que tenho visto, no público que tem adquirido meu e-book (que ficou semanas no rol dos mais vendidos da Amazon) e também nos relatos descritos pelo pessoal do Youpix. Acredito que isso seja um reflexo do pessoal (blogueiros, creators, influencers) ao menos desejarem se posicionar mais seriamente no mercado.
      Seja sempre bem vinda aqui para dar suas opiniões, com ou sem acento, rs 🙂

Comente