cinema

IN-EDIT BRASIL 9º FESTIVAL INTERNACIONAL DO DOCUMENTÁRIO MUSICAL CELEBRA OS 40 ANOS DE PUNK E MEIO SÉCULO DE TROPICALISMO

Programação reúne 59 títulos, representando 18 países e o festival acontece de 14 a 25 de Junho em São Paulo

Divulgação

Com abertura do aguardado documentário “Sepultura Endurance”, sessão especial de “Chasing Trane. John Coltrane Documentary, Panorama Mundial (com 20 títulos inéditos no circuito), Mostra 40 Anos de Punk, Competição Nacional, Mostra Brasil e Curtas), Sessões Especiais, Mostra Meio Século de Tropicalismo, Mostra Canal Brasil e Atividades Paralelas, o In-Edit Brasil – Festival Internacional do Documentário Musical chega à sua em 2017. O evento acontece de 14 a 25 de junho, em São Paulo, com um total de 59 títulos na programação.

ABERTURA

O festival promove este ano o evento de abertura no dia 13/06, terça, às 21h, no Cine Bristol, com a pré-estreia nacional do aguardado documentário “Sepultura – Endurance”, de Otavio Juliano, com a presença da banda. O filme conta a história da banda Sepultura com imagens inéditas de arquivo e diversas entrevistas como Lars Ulrich, da banda Metallica, David Ellefson, do Megadeth, Phil Campbell, do Motorhead, Scott Ian, do Anthrax, Corey Taylor, do Slipknot, Phil Anselmo, do Pantera/Down entre outros que ajudam a entender a relevância da banda brasileira no cenário musical mundial. O evento é exclusivo para convidados. O filme será reapresentado no dia 19/06, às 21h30, no CineSESC (sessão Bonus Track com a presença do diretor).

Já o documentário “Chasing Trane. The John Coltrane Documentary”, de John Scheinfield (diretor de “Os EUA x John Lennon” e “Who is Harry Nilsson”), será exibido no dia 14/06, quarta, às 20h30, numa sessão especial, no CineSesc. Inédito no Brasil, o filme revela um dos maiores nomes do jazz de todos os tempos, o saxsofonista John Coltrane. O diretor utilizou fotos e vídeos de arquivo da família, mostrando os primeiros passos na música, as drogas, os amores, a espiritualidade. Com entrevistas de Kamasi Washington, Bill Clinton, Sonny Rollins, Common, Carlos Santana, Wynton Marsalis, entre outros, o documentário tem ainda o ator Denzel Washtington fazendo a voz do saxofonista.

MOSTRA 40 ANOS DE PUNK

Para celebrar as quatro décadas do movimento Punk, o In-Edit Brasil apresenta na Mostra 40 Anos de Punk uma seleção de 11 filmes nacionais e internacionais como “Garotos do Subúrbio”, o primeiro filme de Fernando Meirelles (1983), “Botinada!”, de Gastão Moreira (2006), “Hated: GG Allin & the Murder Junkies”, de Todd Phillips (1993), “Rude Boy”, de Jack Hazan e David Mingay (1980,) “Rough Cut and Ready Dubbed”, de Hasan Shah e Dom Shaw (1982), “The Decline Of Western Civilization”, de Penelope Spheeris (1981) e “The Filth and the Fury”, de Julien Temple (2000), além de um show com a bandaRestos de Nada, que volta a se reunir após muitos anos, especialmente para o festival.

Nesta celebração não poderia faltar o diretor, músico e DJ Don Letts, um dos maiores nomes da cena punk mundial, que registrou em seus documentários a ascensão do movimento no final dos anos 70 e influenciou diversos nomes de peso com suas discotecagens de reggae e dub no famoso Club Roxy, em Londres. O diretor volta ao Brasil para apresentar seu documentário inédito “Two Sevens Clash (Dread Meets Punk Rockers)”, no dia 15/06, às 19h15, no CineSesc, e “Punk: Attitude”, de 2005, que mostra imagens raríssimas da época com entrevistas de nomes como Henry Rollins (Black Flag), Brendan Mullen (The Masque Club Owner), Chrissie Hynde (The Pretenders) e shows de New York Dolls, MC5, The Stooges, The Clash, Sex Pistols, Ramones, entre outros. Don Letts participa de debates com o público nos dias 15, 16 e 17/06 – neste último, ao lado de Gastão Moreira.

PANORAMA MUNDIAL

O Panorama Mundial deste ano apresenta 20 títulos de produções recentes vindos de diversos países como Letônia, Noruega, Eslovênia, Espanha, EUA, Austrália, Suécia, Alemanha, Suíça, Reino Unido, Alemanha, Mali, França, Suíça, Israel, Canadá, Sérvia, Japão. Entre eles, podemos destacar o filme “Gimme Danger”, de Jim Jarmusch, sobre a banda The Stooges; a história de Whitney Houston em “Whitney. Can I Be Me?”; a gravação do disco Skeleton Tree, de Nick Cave, “One More Time With Feeling” (apresentado em branco e preto e em 3D); a história do assassinato do trompetista Lee Morgan em “I Called Him Morgan”; a dupla Blade & Beard que faz parte da cena clandestina de música eletrônica no Irã em “Raving Iran”; o guitarrista Bill Frisell em “Bill Frisell: a portrait”; a banda Unlocking The Truth em “Breaking a Monster”; a história de Bill Drummond, fundador da banda KLF e responsável por queimar 1 milhão de libras esterlinas em notas em “Imagine waking up tomorrow and all music disappeared”, a influência dos nativos na música americana destacando artistas como Charlie Patton, Link Wray e Jimi Hendrix em “Rumble: The Indians Who Rocked The World”; o registro de dezenas de músicos de jazz de Nova York pelo fotógrafo W. Eugene Smith em “The Jazz Loft According To W. Eugene Smith”, entre outros.

PANORAMA BRASILEIRO

O Panorama Brasileiro apresenta o melhor da safra nacional com diversos títulos recentes, entre longas e curtas metragens. Na COMPETIÇÃO NACIONAL, um total de 5 títulos inéditos no circuito comercial. Três dos filmes fazem sua Première Mundial no evento: “O Piano que Conversa”, do diretor Marcelo Machado, que nos conduz a uma viagem com o pianista Benjamim Taubkin, “Serguei, o Último Psicodélico”, de Ching Lee, Zahy Tata Pur’gte, que traz depoimentos de gente que acompanhou as frenéticas aventuras de um dos maiores símbolos do rock brasileiro; e “Sotaque Elétrico”, de Caio Jobim e Pablo Francischelli, que analisam a evolução da guitarra elétrica no Brasil. Completam a competição os filmes “Perdido em Júpiter”, dirigido por Deo, que fez uma colagem construída de Júpiter Maçã através de vídeos encontrados em internet, e “Eu, Meu Pai e Os Cariocas – 70 anos de música no Brasil”, de Lúcia Veríssimo, que conta grande parte da música brasileira acompanhando seu pai, Severino Filho, do grupo Os Cariocas. O vencedor desta edição, definido por um júri de profissionais do cinema e da música, representará o Brasil na edição do In-Edit Barcelona, em outubro. Já o melhor filme segundo votação do público levará o Prêmio Petrobras.

Para comprar online acesse http://rede.natura.net/espaco/annacarla
Publicidade

Já a MOSTRA BRASIL apresenta a diversidade da música brasileira nos 4 filmes selecionados. São eles: “O Som do Tempo”, de Arthur Moura, que conta a história do hip hop na cidade do Rio de Janeiro. “Onildo Almeida – Groove Man”, de Helder Lopes e Cláudio Bezerra, sobre o compositor responsável por grandes clássicos do baião. “Super Orquestra Arcoverdense de Ritmos Americanos”, de Sérgio Oliveira, acompanha o dia a dia da orquestra de baile Super Oara, da cidade Arcoverde, e “Morena dos olhos pretos”, de Isaac Dourado, sobre a cantora Clemilda Ferreira da Silva, a Rainha do Forró e do duplo sentido.

O Panorama Brasileiro apresenta ainda uma seleção com 10 CURTAS inéditos que também mostram a pluralidade da musica brasileira. São eles, “A Vida é Improviso”, de Vicente Oliveira, “Bambas”, de Anná, “Bendito Batuque”, de Chico Galvão, Edgard Galvão, “Cena Musical Contemporânea em 4 Tempos – São Paulo”, de Tamy Marraccini, “Cinebiogravura”, de Luís Rocha Melo, “Eu Sou Raul Torres, Violeiro Sim Sinhô”, de Leandro Ferrari, Daniel Figueira, “House Sounds”, de Bruno Ramos, “Não Tem Só Mandacaru” de Tauana Uchôa, “Piano Forte”, de Anabela Roque, “Samba de Cacete: Alvorada Quilombola”, de André dos Santos e Artur Arias Dutra.

Para completar, o In-Edit Brasil promove ainda a Mostra MEIO SÉCULO DE TROPICALISMO, com os filmes filmes “Loki – Arnaldo Baptista”, de Paulo Henrique Fontenelle, “Os Doces Bárbaros”, de Jom Tob Azulay, “Tropicália”, de Marcelo Machado, e “Rogério Duarte – O Tropikaoslista”, de José Walter Lima, debates coordenados pelo jornalista Marcus Preto e apresentações musicais com Blubel, a banda Black Tie, Péricles Cavalcanti e Leo Cavalcanti. Já na MOSTRA CANAL BRASIL, o documentário “A Plebe é Rude”, de Diego da Costa e Hiro Ishikawa (Inédito no Cinema), sobre a banda Plebe Rude que surgiu no final dos anos 1970 com um som poderoso e letras sofisticadas, “82 minutos”, de Nelson Hoineff, e “Sem Dentes. Banguela Records e a Turma de 1994”, de Ricardo Alexandre.

Na SESSÕES ESPECIAIS, 2 filmes que fazem sua pré-estreia no festival: o premiado documentário “Divinas Divas”, de Leandra Leal, que será exibido no dia 15/06, às 17h, no Cinesesc, com a presença da personagem Rogéria. O filme mostra os preparativos para o espetáculo das divas Rogéria, Jane Di Castro Divina Valéria, Eloína dos Leopardos, Fujika de Halliday, Marquesa e Brigitte de Búzios, que brilharam como a primeira geração de artistas travestis do Brasil. O filme conquistou o prêmio de público no SXSW e faz sua pré-estreia no In-Edit Brasil. Também em Sessão Especial, o aguardado “Sepultura – Endurance”, de Otavio Juliano, que abre o festival no dia 13/06, mostra a trajetória da banda Sepultura, o nome mais emblemático e internacional do rock nacional. Depois de mais de 30 anos de estrada e da saída de seus fundadores, os irmãos Cavalera, o grupo continua sua saga pelos palcos, provando que fúria e talento não lhe faltam. No dia 19, segunda-feira, no CineSesc, o diretor mostra imagens que não entraram no filme e responde as perguntas do público na Sessão Bonus Track.

O In-Edit Brasil, 9º Festival Internacional do Documentário Musical é uma realização da In Brasil Cultural, Secretaria da Cultura, Governo do Estado de São Paulo e SESC-SP. O evento tem o patrocínio de Riachuelo e Petrobras/Governo Federal e copatrocínio da Spcine e Prefeitura de São Paulo. E acontece com recursos captados através do Programa de Apoio à Cultura (ProAC).

PROGRAMAÇÃO COMPLETA NO SITE: http://www.in-edit-brasil.com

Serviço:

In-Edit Brasil, 9º Festival Internacional do Documentário Musical
14 a 25 de junho em São Paulo.

Evento de Abertura: dia 13/06, terça, às 21h, no Cine Playarte Bristol – Shopping Center 3 (Av. Paulista, 2064) – Pré-estreia Nacional do documentário “Sepultura Endurance”, de Otavio Juliano. Evento fechado para convidados.

Sessão Especial: dia 14/06, às 20h30, com a exibição de “Chasing Trane: The John Coltrane Documentary”. CineSesc R$ 12 (inteira)  | R$ 6 (meia) | R$ 3,50 (comerciários)

Locais:

CineSesc
Spcine Olido
Spcine Lima Barreto (Centro Cultural São Paulo)
Cine Matilha
Museu da Imagem e do Som
Cinemateca Brasileira

E + 17 salas do Circuito Spcine em todas as regiões da cidade.

Entrada gratuita em todas as sessões e atividades do festival, exceto CineSesc R$ 12 (inteira)  | R$ 6 (meia) | R$ 3,50 (comerciários)

Com informações de Cena Pop Eventos Criativos

Anna Carla

Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

Comente