cinema, entretenimento, televisão

Netflix apresenta: The OA

Mais uma vez a nossa querida e amada Netflix abriu as portas de um maravilhoso mundo para nós. Quem está sempre por dentro do universo de seriados, já está sabendo que existe uma nova série bem apetitosa disponibilizada por esta incrível empresa de Streaming: The OA. 

The OA é uma série de Brit Marling e Zal Batmanglij. Esta dupla de gênios mostra através de um enredo misterioso e viciante que não é pra qualquer um escrever, dirigir, e ( para Brit, que é a atriz que faz a protagonista) atuar em uma série a ser produzida e assinada pela Netflix. A série já chegou chegando com um episódio piloto de 71 minutos! É isso mesmo, um filme dentro de um episódio apenas para apresentar e deixar um gostinho desse roteiro maravilhoso!

Chegou sem ser percebida, não foi pré divulgada, e não houve uma grande campanha para o lançamento de The OA. Muito pelo contrário, chegou bem discreta para nossa timeline do Netflix. A série, com toda sua proposta diferente e inovadora, fez com que mesmo sem uma grande divulgação, surpreendesse e ganhasse muitos fãs.

A trama começa falando sobre a protagonista Prairie, que após 7 anos desaparecida, é encontrada se jogando de uma ponte, e após se recuperar em um hospital, é levada para sua antiga casa. É recebida por seus pais adotivos com muita preocupação ao ver que sua filha está agindo daquele jeito esquisito de quem viveu e sofreu muito e não fala nada sobre o que aconteceu. Até aí tudo bem, mas vamos ao primeiro mistério: Ao desaparecer, Prairie era cega, e volta anos depois para casa ENXERGANDO normalmente!

Como isso aconteceu? Como assim? Wtf? Mas o quê?

Pois é, criatura! Essa e várias outras intrigas desse nível pra pior são jogadas como uma avalanche de informações pela série. Entre elas podemos encontrar experiências de quase morte, uma infância na Rússia, e uma série de movimentos estranhos que não se sabe bem qual sua finalidade.

Diz Prairie que se lembra de tudo, mas a rapariga não pode contar pra ninguém hahaha… Claro que durante os episódios, outros personagens fortíssimos surgem e evoluem muito com a trama. Muitas perguntas surgem, muitas são resolvidas, mas para isso, é preciso assistir! A proposta é completamente diferente da maioria das séries vistas por aí. Se você se pegar assistindo e tiver a sensação que ta entendendo tudo, mas não entende nada ao mesmo tempo… Não se preocupe, é normal!

Até agora foi disponibilizada somente a primeira temporada. E claro, que ela nos deixa com váááárias teorias do que acontece a seguir… E principalmente com um gostinho de QUERO MUITO MAIS PELAMORDEDEUS TO SURTANDO AQUI! Apesar de o episódio piloto ser bem longo, os episódios seguintes variam o tempo de duração. Mas bom mesmo seria se todos fossem beeeeeem longos pra ter mais pra assistir!

Boa, Netflix! Mandou muito bem, e já esperamos ansiosos pela 2ª temporada de The OA!

E você, chama a galera, abre hoje mesmo a Netflix, e vamos todos fazer um flashmob com os 5 movimentos! <3

#Recomendo

Imagens: The OA da Depressão 
Miranda Lourenço

Publicitária, cantora, fotógrafa, amante de séries, e apaixonada por felinos domésticos.

Comente