para crianças

Fale sobre assédio com seus filhos

Porquê um programa com crianças no elenco não deve passar depois das 20 horas?

Eu poderia elencar várias razões aqui, desde a identificação das crianças e do desejo delas assistirem a esse programa (e o quanto isso atrapalha a rotina familiar quando é exibido em horário inadequado), até o mais grave de todos, e que a internet nos mostrou nos últimos dias, que as crianças não devem ser excessivamente expostas para os adultos.

Sim, o que me motiva a escrever este texto é o assédio virtual sofrido pela participante do Masterchef Junior. Não digo que o assédio não aconteceria se o programa fosse exibido em horário diferente mas, certamente diminuiria a exposição dos participantes à essa massa adulta.

Sou mãe de uma menina de 11 anos (da qual raramente vocês verão uma foto aqui por razões óbvias)  e fiquei enojada com tudo o que foi dito sobre a Valentina mas, infelizmente, não fiquei surpresa. Ao contrário do meu marido, que ficou igualmente horrorizado mas muito surpreso. Possivelmente porque ele como homem, nunca sofreu nenhum tipo de assédio, nunca  se sentiu inseguro na rua, nunca sentiu o perigo de perto.

Hoje ele me disse que perdeu o sono dia desses pensando na nossa filha.

babyzebra

Lamentavelmente essa aura de impunidade que a internet exala permite que os abusadores em potencial se aglutinem e destilem seu veneno abertamente e nos obriga, enquanto pais, a tocar nesse assunto escabroso antes da hora com nossos filhos.

Minha filha é uma criança, ela não pensa em sexo, nem tem que pensar! Assim como eu também era quando um idiota mostrou o pinto pra mim enquanto eu brincava de boneca na garagem do prédio com minhas amigas aos 10 anos de idade, isso faz mais de 30 anos gente!

Ou quando eu ia sozinha de ônibus pro Ballet no Teatro Municipal (falava-se muito do “tarado do municipal” que “batia uma” para as bailarinas no canal em frente as escadarias do teatro) e eu ia até o ponto de ônibus, com o coração disparado, feito uma zebra perseguida.

A gente esquece essas coisas, ou finge esquecer pra sobreviver. Mas a internet está aí para nos lembrar que esses idiotas ainda existem e que precisamos falar sobre assédio, como disse a Jout Jouts precisamos fazer um escândalo!

Precisamos perder a vergonha de trazer à tona esses fantasmas do passado para educar nossos filhos, para que eles aprendam a lidar, cada vez mais cedo, com essa merda toda  o assédio.

Encontrei um vídeo educativo numa comunidade de mães que faço parte no Facebook, e  achei que aborda o assédio de uma maneira suave até, se formos levar em consideração o peso do tema. Assistam e se acharem bacana vejam com seus filhos, sobrinhos, e  por favor, espalhem por aí.

E por favor, em caso de abuso disque 180.

 

Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

Comente