entretenimento

Tem que ver: How to get away with murder

Assisti como sempre, com algum atraso, a nova série produzida por Shonda Rhimes, How to get away with murder. 

Como advogada, além de adorar Law and Order, me sinto uma órfã das séries  Ally Macbeal, Eli Stone e Drop Dead Diva onde surrealismo e romance se misturavam perfeitamente a dramas e tramas jurídicas.

tumblr_ncuc53T9mt1tf48o1o6_250

Até hoje sinto saudades das coreografias de banheiro de John Cage interpretado brilhantemente por Peter MacNicol.

O fato é que HTGAWM me conquistou de uma forma que, digo a vocês, que todas essas outras séries ficaram apenas na  lembrança.

A série foi criada por Peter Nowalk e passa na gringa no canal  ABC Studios, por aqui é exibida no Canal Sony e no canal de streaming Netflix Brasil, onde tem a primeira temporada completa. Segure-se para não assistir numa carreira só feito eu!

top_3

tumblr_ncoyqb0yqC1u01e50o3_250

A estrela principal é Viola Davis (The Help, 2011) que por seu desempenho espetacular, recebeu no dia 20 de Setembro de 2015, o Emmy de melhor atriz em série dramática, deixando para trás Claire Danes,Taraji P. Henson, Tatiana Maslany, Elizabeth Moss e Robin Wrigth.

Viola interpreta Annalise Keating, uma professora de Direito Penal da fictícia Universidade de Middleton, na Filadélfia, uma das mais prestigiadas Escolas de Advocacia na América. A trama começa quando ela  seleciona um grupo dos seus melhores alunos para trabalhar em seu escritório. São eles: Connor Walsh (Jack Falahee), Michaela Pratt (Aja Naomi King), Asher Millstone (Matt MacGorry) , Laurel Castillo (Karla Souza) e Wes Gibbins (Alfred Enoch).

Foto divulgação
How to get away with murder- Foto divulgação

Esta é uma série que prende a atenção do telespectador, na medida em que mescla tramas jurídicas que se iniciam e se encerram em cada episódio, tendo como pano de fundo uma história  que demora toda a temporada para se desenrolar e ter seu final impactante, que serve de gancho para a temporada seguinte. Sim, a ABC já está transmitindo a segunda temporada.

SR Headshot 11.14
Shonda Rhimes – Foto divulgação

Talvez seja uma influência de Shonda Rhimes (Grey’s Anatomy, Scandal), mas se vê muitas minorias representadas na série, muito bem representadas diga-se de passagem.

Uma coisa em comum com Grey’s Anatomy é a pegação, tem e tem muito. Sem ser vulgar, sem apelar e sem romantismo “mela cueca”. E aqui os gays estão também bem representados, sem esteriótipos, as relações acontecem como na vida real.

A estrela da série, não à toa, é mulher e negra, além de ter negros representados em todo tipo de papel na série e não apenas como o traficante e o bandido. O negro aqui  aparece retratado como  bem sucedido, aluno de universidade e policial.

Outra coisa muito bacana de se ver nessa série é o protagonismo do empoderamento feminino. Em HTGAWM fica claro que a mulher pode o que ela quizer: ser uma mega advogada e professora bem sucedida, ela pode transitar entre a bondade e a canalhice, pode ser ambiciosa, pode ser boazinha, pode mudar de ideia e não importa se ela é forte, aqui é assegurado até o direito ao sofrimento.

Roteiro incrível, cheio de reviravoltas, elenco fantástico…resumindo: tem que ver!

Vê aí e depois me conta.

Anna Carla

Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

2 thoughts on “Tem que ver: How to get away with murder

  1. Sim, sim, sim!!! Essa série tem que ver mesmo, recomendo a todo mundo quando alguém me pede uma série nova haha e assim como você também vi tudo de uma vez e em menos de cinco dias. E consegui terminar um dia antes de estreiar a segunda temporada, mas ainda nem comecei, estou esperando acumular um pouco mais de episódios (já que é impossível se contentar com um só).

Comente