Desde que me propus a escrever algumas linhas sobre entretenimento neste blog, noto que a televisão muda todos os dias e mudou muito mais na nossa história recente.

Tendo acompanhado a derrocada da última trama do Gilberto Braga em horário nobre percebi que  os grandes canais de mídia estão produzindo para um público cada vez menor, que beira a inexistência.

Quem me acompanha por aqui está cansado de saber que, não é de hoje,  eu sou noveleira e adoro Gilberto Braga mas, atribuo o fracasso da última trama das 21 horas a um “pouco caso” com um público que está fora das estatísticas de audiência, a internet.

© 2006 - 2015 Caderno de Cabeceira por Anna

Aquele que curtiu e vibrou com os capítulos da primeira semana (leia-se aqui eu mesma) foi abandonando a trama na medida em que ela foi sendo modificada. E talvez pela falta de personalidade que foi sendo atribuída aos personagens e suas histórias a novela foi incapaz de conquistar o público consumidor de televisão aberta, aquele que aparece nos índices do IBOPE.

Leia também: Netflix e a propaganda involuntária

Seja pelo excesso de publicidade da televisão aberta e, porque não dizer do cabo,  ou pela vida corrida,  cada vez mais o “streaming” vem se mostrando como a primeira opção para muitos. De olho nesse filão a própria Globo disponibiliza os capítulos de suas novelas no Gshow o que possibilita o desprendimento de estar diante da televisão naquele  horário específico.

As smart tvs e o acesso facilitado à internet, smartphones e computadores tem proporcionado essa migração a um  número cada vez maior de pessoas.

framboesa

A exemplo disso eu ainda não assisti “A regra do Jogo”, apenas o primeiro capítulo. Mas pretendo fazê-lo, no meu tempo. Nesse horário minha prioridade são meus filhos, colocá-los na cama, para só então ter um momento meu. Gostaria de não ser sistematicamente ignorada por isso.

Acho que as novelas e os programas de televisão em geral estão perdendo um grande filão de público para o Netflix por exemplo. Acredito que se as grandes emissoras acordarem pra vida  vão criar seu próprio canal de streaming e em um futuro próximo só vamos assinar o que desejamos ver e na hora que bem entendemos.

Penso que a dramaturgia deve também beber em outras fontes, abrir os horizontes e olhar “com olhos  de ver” o que vem sendo produzido lá fora com o fim de conquistar de uma vez por todas esse público, no qual me incluo,  que está sedento de novidades.

Enquanto isso acompanhamos  programas que sabem bem o que fazer com o público de internet, como Programa Xuxa Meneghel, fazendo da interação um plus. Parece que a Globo terá que aprender a contabilizar os TT’s do Twitter.

E por aí, você mudou seus hábitos de consumo de televisão? Me conta nos comentários ou nas redes sociais!

 


Anna Carla

Santista ”da gema”. Uma mulher dos anos 50 nascida em 73. Mãe da Sofia desde 2004 e do Joaquim desde 2010. Advogada formada pela Universidade Católica de Santos desde 2001. Costumo dizer que me interessam coisas legais em sentido amplo e estrito. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer. Veja o perfil completo.

2 Comentários

brunasantosm · 08/09/2015 às 5:19 pm

eu mudei total meus hábitos com a tv. antes eu assistia muita tv aberta e novelas, hoje em dia eu só sei das novelas que estão passando porque minha mãe ainda vê e me conta! rsrs
Mas hoje eu assisto muito mais netflix, videos do youtube e programas que eu gravo da tv fechada e assisto quando posso!
Nos dias de hoje que é tudo muito corrido, muitas vezes não dá para parar para assistir aquele determinado programa na hora que ele está passando.

Beijinhos 🙂
Bru Santos ♥
http://www.queseame.com

    Anna Carla · 08/09/2015 às 7:55 pm

    Obrigada pela visita e pela sua opinião Bruna!
    Legal saber que não estou sozinha nesses novos hábitos, beijão!

Comente

pt_BRPortuguese (Brazil)
pt_BRPortuguese (Brazil)
%d blogueiros gostam disto: