vida simples

Quarta para pensar #4 – Como anda seu coração?

image

Ultimamente tenho observado como os sentimentos influenciam no nosso dia-a-dia e até mesmo na nossa saúde.

Gosto de imaginar que o coração da gente funciona como um catalisador onde processamos as emoções e informações que o cérebro manda pra ele. Sob esta ótica por mais racionais que tentemos ser se o coração não estiver legal, cheio de mágoas e teias de aranha, as chances de se adoecer aumentam muito.

Bem por isso acredito que seja muito importante darmos ouvidos às emoções as que não forem bacanas como raiva, ciúme, inveja, medo devemos sentir e deixar partir.

Compre aqui
Compre aqui

 

Osho afirma no seu livro “Emoções” que você está com raiva mas não pode continuar com raiva para sempre porque até o homem mais zangado do mundo dá risada de vez em quando. Veja um trecho do livro:

“Se você está com raiva, então fique com raiva e não julgue, dizendo que isso é bom o ruim. E esta é a diferença entre as emoções negativas e positivas: se você tomar uma  consciência  da emoção, você se tornar essa emoção, se essa emoção então se espalhar e se tornar o seu ser, ela é positiva. A consciência trabalha de forma diferente em cada um desses casos. se for uma emoção venenosa, você se livra dela por meio da consciência. Se ela for benéfica, alegre, extasiante, você e ela se tornam uma coisa só.

A consciência se aprofunda. Então, para mim, este é o critério: se algo se aprofunda com a sua consciência, isso é bom. Se algo se dissipa com sua consciência isso é ruim. Tudo que não pode ficar na consciência é pecado e tudo que cresce na consciência é virtude. Virtude e pecado não são conceitos sociais, eles são realizações interiores.

Eu estou dizendo que até as emoções negativas são boas, se forem reais; e se elas são reais, pouco a pouco, a própria realidade delas as transforma.

Elas vão ficando cada vez mais positivas, até que chega um ponto em que toda positividade e negatividade desaparecem.

Basta que você seja autêntico; você não sabe o que é bom ou ruim, não sabe o que é positivo nem o que é negativo. Seja simplesmente autêntico.”

(Osho – Emoções , liberte-se da raiva, do ciúme, da inveja e do medo – páginas 18 e 19)

Quanto tempo por dia você dedica para ouvir seu coração? Cinco minutos? Uma hora? O tempo todo?

O meu convite pra você nesta #quartaprapensar é tire pelo menos alguns minutos do seu dia para ouvir seu coração  e sentir as emoções em sua plenitude, sendo autêntico e honesto consigo mesmo, deixando fluir e purificando o coração.

Anna Carla

Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

Comente