dica de mãe

Lembre-se de você

Ser mãe é sem dúvida alguma uma parte muito importante da minha vida, talvez a mais importante, mas  isto não me define.

Desde o princípio quando decidi que engravidaria pela primeira vez, eu tinha esta certeza de que ser mãe me modificaria completamente, talvez por isso eu preferi engravidar depois da formação acadêmica, dando a cada coisa o seu devido tempo.

Já dizia minha avó, para tudo na vida tem um tempo, tempo de plantar e de colher. O que esquecemos algumas vezes de separar um tempo para nós mesmas, mulheres que somos antes mesmo de sermos mães.

aa

Escolhi ser uma mãe que trabalha em casa, em jornada de tempo parcial, hoje divido meu tempo como mãe, dona-de-casa, advogada e blogueira.

Falando assim parece fácil, mas nem sempre foi fácil assim. Até hoje tenho que me policiar para não pirar na batatinha, tenho que me cuidar para não entrar na vibe das “mães-blogueiras-perfeitas” e não sentir culpa.

Acho que o mais importante é não se esquecer de quem você era antes de ter seus filhos. Tudo bem que estamos carecas de saber que a maternidade é transformadora, um verdadeiro divisor de águas na vida de qualquer mulher mas é bom nunca esquecer as origens,  seus gostos e desejos.

Porque os filhos crescem e ficam independentes muito mais rápido do que a gente imagina e pensa só você centralizar sua vida no bebê? Quando este crescer você vai se sentir sozinha e perdida.

Aprender a me organizar e definir prioridades sem dúvida foi uma coisa difícil mas mais difícil ainda sem dúvida foi me apartar da ideia de perfeição.

vintage-laundry

Casa brilhando e arrumada, trabalho rendendo, crianças perfeitas, comercial de margarina… Nada disso! Tem que se permitir errar, tem que deixar louça na pia sim e a criança tem que aprender a lidar com frustração! Isso é muito importante para a formação deles e pra nossa também.

Delegar, delegar, delegar repito isso quase que como um mantra. A faxina grossa da casa, o almoço de domingo, as crianças, até mesmo a parte mecânica do trabalho o que der pra delegar TEM QUE delegar.

Fui criada por uma geração de mulheres que centralizavam tudo, a casa, os filhos, o trabalho fora de casa, e até mesmo o marido, tudo era gerido pela mulher. Me libertar disso foi um tanto complicado mas nada que um pedido de ajuda não resolvesse.

Daí você vai dizer “meu marido não faz nada” e eu te respondo “você pediu?” Dividir tarefas com o marido pode ser bacana para ambas as partes, certamente ele vai preferir te dar uma força do que se deparar com uma pessoa exausta que não tem disposição  pra nada, quanto mais  para sair.

Sair com o marido, sem os filhos, namorar, é essencial também.

Por fim, tem que ter tempo para si mesma. Seja para ler um livro, fazer as unhas, tomar um café com uma amiga, ouvir uma música, praticar Yoga, meditar ou caminhar, meia hora, vinte minutos que seja já está valendo! Deixe tudo um pouco e vá ser você!

É preciso alimentar a mulher que você é, nem que seja em doses homeopáticas.

Leia também

A maternidade e suas mudanças

Mães no fogo cruzado

O fundamentalismo materno de cada dia

Anna Carla

Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

5 thoughts on “Lembre-se de você

  1. Anna, como é difícil essa tarefa de conciliar tudo! Vc tá certíssima, a gente tem q aprender q pedir ajuda não é fraquejar, é ser forte, isso sim! É humanamente impossível a gente dar conta de tudo hoje em dia, parece que a pressão é grande justamente pra q a gente desista. Já tive dias a ponto de surtar, mas aos poucos, tô tentando respirar fundo e fazer o melhor possível 🙂
    Bjos!

    1. Isso aí Mi, o lance é respirar fundo e entender que pedir ajuda é natural! Tenho certeza que você faz um excelente trabalho com seus pequenos, com seu blog maravilhoso e com tudo o mais que pintar! Beijos querida!

Comente