vida simples

Tem coisas que a criança nasce sabendo, então porque a gente esquece?

Na infância muitas coisas parecem mais fáceis.
O exercício da criatividade, divertir-se, achar graça nas coisas mais simples sobretudo por não ter pressa, fazer amigos, expressar sentimentos além das palavras, e achar felicidade dentro de si enquanto todos os outros perdem tempo procurando fora.

Acho que na medida que vamos crescendo vamos colocando coisas “importantes” a frente da simplicidade da vida e com isso vamos perdendo a essência pouco a pouco ao longo do caminho.

Perdendo modo dizer, acho que esquecemos porque essência é uma coisa que fica morando dentro dentro da gente mesmo que a gente sufoque com tantos afazeres e obrigações.

Olha que termo feio: “obrigações”. Porque será que nós permitimos ter obrigações?
Porque seguramos o nosso próprio chicote?

Nessa semana assisti o filme francês “A espuma dos dias”. Em meio a tanta surrealidade o filme passa uma mensagem muito importante: as pessoas não mudam, o que mudam são as situações.

Saí do cinema pensando porque achamos que as situações mudam a gente? Fui numa reflexão funda e mergulhei na minha própria história de vida. Por algum tempo achei que a doença AR tinha me modificado mas não. Eu continuei vivendo dentro do corpo que naquele momento estava com uma doença auto-imune em atividade.

Compre aqui!
Compre aqui!

É bem verdade que se aprende com a variedade de situações da vida e que isso acrescenta experiência a pessoa que a gente é mas a essência continua lá. Hoje, em outra situação, com a doença sob controle, consigo ver de fora que dentro continuo igual.

Os sonhos, os valores e a vontade de viver estão no mesmo lugar.
Um exemplo disso é a facilidade que temos em resgatar velhos amigos. As afinidades estão lá, adormecidas em meio as demandas da vida basta que arranjemos tempo para despertá-las.

Para uma criança basta um sorriso, uma troca de olhares e uma amizade se forma. Que isto nos sirva de inspiração neste dia das crianças, que alimentemos nossa essência mais com a pureza de criança e menos com o que nos distancia disso.

 

Anna Carla

Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

8 thoughts on “Tem coisas que a criança nasce sabendo, então porque a gente esquece?

  1. Oie Anna, primeiro amei o fato de você não ser novinha! Deixa eu me explicar rsrs. É que eu sempre me surpreendo com as idades das meninas que postam videos e tem blogs e outra coisas, as vezes acho um blog super bacana e descubro que a menina tem 17 anos!!! rsrs não é que isso seja ruim! Mas ver alguém mais velho tendo seu lugar ao sol sempre me motiva. Eu fiz tudo as avessas na vida e agora corro atras dos meus sonhos com alguns anos no bolso e sempre me sinto abalada por isso. Então obrigada por tem seus 50 anos e ser tão digital quanto se tivesse 17! Depois de tudo isso… bem, seu post é tudo. Outro dia estava lendo uma cronica da Danuza Leão na revista Marie Claire sobre pq as crianças choram por tudo e os adultos não choram. É a mesma temática. E a mesma solução, não podemos abandonar quem fomos. As vezes jogamo-nos fora por achar que não servirmos mais, mas como toda boa moda, uma hora ela volta e vc pode apenas customizar e usar again!! Falando em correr atras dos sonhos, resolvi publicar meus textos e fiz um pequeno blog. Fique a vontade para conhecê-lo!
    http://www.acheiaspalavras.blogspot.com.br

    1. Oi Luciana!
      Fico muito contente de saber que meu texto te tocou de alguma forma, de verdade.
      Só um detalhe: ainda faltam oito anos pra eu fazer cinquenta, completo 42 no fim de outubro. Mas de toda forma fico muito feliz de você se sentir motivada pela minha idade, haha!
      Mas tem muita gente boa, na casa dos 40, escrevendo e publicando seus textos na internet.
      Não desista , a idade é só um número!
      Muito obrigada pela visita e volte sempre que quiser!
      Bjs!

  2. Sabe o que mais me vem na cabeça? Quando uma criança briga com a outra, em menos de 5 minutos está tudo resolvido e logo elas voltam a brincar juntas, ou seja, a briga foi um detalhe que não fez diferença. Hoje em dia essas brigas prevalecem de um jeito que não voltamos a “brincar” 5 minutos depois, parece que os problemas sempre prevalecem e as soluções ficam esquecidas. O mundo ta virado ao avesso e ninguém percebeu. Quando éramos crianças tudo era mais simples e acredito que até mais bonito.

    Um cheiro!
    http://www.vinteetantos.com

    1. Ah, não consegui descobrir de onde você é Isa, mas adoro essa expressão “um cheiro”!
      Gostei muito do seu blog também!
      Quando a gente tem filhos e observa dá pra colocar em cheque muitos comportamentos que vamos mudando ao longo da vida e, neste ponto podemos ver que ainda dá tempo de se reinventar, a vida pode ser mesmo bem simples, a gente é que complica 😀
      Obrigada pela visita e seja sempre bem vinda!

Comente