vida simples

Vídeo debochado sobre o Instagram pode te levar a uma auto-análise

Antes de cair numa garagalhada em loop olhe o seu Instagram.
Porque raios nos tornamos pessoas tão vaidosas e preocupadas em exalar felicidade? E porque isso é obrigatório? Ou ainda porque incomoda tanto?

Enquanto eu assistia esta paródia bem humorada de como a grande maioria das pessoas utiliza o aplicativo Instagram fiquei refletindo sobre essas questões.

Uso o aplicativo faz pouco tempo e é evidente que coloco fotografias dos meus filhos, dos meus gatos, plantas, paisagens de Santos que muitas vezes passam despercebidas no dia-a-dia…mas não é para isso que serve o programa afinal?

Se eu pareço feliz no meu Instagram? Acredito que sim. Afinal não acho que a poltrona do meu quarto detonada pelas minhas gatas, uma  fralda  suja do meu filho, uma pia cheia de louça para lavar ou uma fila imensa para ser atendida no cartório da 1ª Vara da Família de Santos sejam coisas dignas de registro.

Não sou obsessiva ao ponto de utilizá-lo diariamente, registro o que acho que vale o registro e que seja publicável dentro de alguns parâmetros éticos e morais. Registro para lembrar depois o que merece ser lembrado. Não para aparentar uma felicidade utópica ou para obter a aprovação dos outros.

Mas não me incomodo com quem faz uso do aplicativo do modo descrito no vídeo, às vezes só acho engraçado…

Acho massante essas pessoas que se incomodam tanto com o que o outro posta, não gosta não segue o feed, simples assim. Não dá para esperar que o outro vá postar somente o que você aprova e se não sabe lidar com isso é melhor não fazer parte de rede social alguma, vocês não acham?

Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

Comente