Até mesmo o Dr. House  da ficção em toda sua peculiar ‘rabugentisse’ em alguns momentos ao longo de oito temporadas sentiu uma ponta de vontade de ser feliz.

É muito fácil dizer-se desapegado do desejo de ser feliz quando só se faz o que gosta, na hora que bem entende muitas vezes com uma boa retaguarda, seja financeira e/ou emocional.

Ultimamente tenho sentido certa preguiça destas pessoas que são ‘do contra’ quando o assunto é felicidade.  Pessoas que acham que a felicidade alheia é utópica e sem valor, ou ‘da boca pra fora’.

Felicidade para mim é uma coisa tão particular, tão preciosa que nem sei como descrever. Só sei o que ela não é: material; e bem por isso é imensurável.

 A minha felicidade está no sorriso dos meus filhos, está na saúde, no sentimento que uma música boa me provoca, está na poesia muda de uma lua cheia que enche de luz a cozinha da minha casa, está nos braços que me envolvem de um amor tão grande, capaz de aplacar as dores de uma doença cruel e crônica. É… A vida é assim. Não é possível ser feliz o tempo todo, mas eu me sentiria uma imbecil se não desse o devido valor a estas pequenas coisas que me mantém cheia de amor, cheia de mim.

E os do contra? Porque então não assumem de uma vez que são infelizes? Claro que não! Porque no fundo, bem lá no fundo todos, inclusive os ditos ‘policiais da felicidade’, não desejam ser infelizes. Ninguém quer ser miserável, pelo menos não o tempo todo, nem mesmo o Dr. House.


Anna Carla

Santista ”da gema”. Uma mulher dos anos 50 nascida em 73. Mãe da Sofia desde 2004 e do Joaquim desde 2010. Advogada formada pela Universidade Católica de Santos desde 2001. Costumo dizer que me interessam coisas legais em sentido amplo e estrito. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer. Veja o perfil completo.

5 Comentários

Alessandra Nava · 07/02/2012 às 3:45 pm

precisa ter coragem para correr atrás da felicidade. E coragem †á em falta hoje em dia….

    Anna Carla · 08/02/2012 às 2:12 pm

    Oi ALê, concordo com você, a coragem é rara nos dias de hoje apesar de ser essencial para a estrutura do ser humano, aliás se começar a “falar aqui” vai render outro post. Beijos querida :*

rklink · 07/02/2012 às 8:31 pm

Felicidade é poder ser eu mesma;
e me aceitar…

    Anna Carla · 08/02/2012 às 2:15 pm

    Para isso também é preciso coragem, como disse minha amiga Alê no comentário acima. E que ótimo que você dá conta disso, muita gente não consegue por causa dos parâmetros de beleza e status que infelizmente vigoram atualmente.
    Agradeço a visita e o comentário 🙂

Comente

pt_BRPortuguese (Brazil)
pt_BRPortuguese (Brazil)
%d blogueiros gostam disto: