cotidiano

Das coisas que aprendi com o Caderno em 2011

Estamos no quarto dia do mês de dezembro e já está aberta da temporada de posts reflexivos de fim de ano. É minha gente todo ano e´a mesma coisa, chega essa época ninguém fica imune ao espiríto de fim de ano. Eu mesma sempre postei aqui e alí reflexões de fim de ano, às vezes mais de uma por ano ao longo desses quase cinco anos de Caderno de Cabeceira. Cinco anos! E parece que foi ontem que eu tomava coragem diante de um “PC” para começar a escrever, e estes anos passaram voando!

Pois mesmo com tantos anos, pieguices à parte, foi neste “doismileonze” que eu aprendi coisas muito importantes com esta ferramenta.

A primeira coisa é que por mais que você tente se enganar a internet é uma feira das vaidades e justamente por isto não é exatamente um bom lugar para se fazer amigos, se você insistir nisso aconselho que seja muito, muito cuidadoso pois as chances de você se decepcionar e também de se surpreender são infinitamente maiores que na chamada vida real. Na grande maioria dos casos as pessoas tem algum interesse escondido, ou querem que você seja parceiro e/ou intusiasta de determinado site ou blog, querem vender seus produtos, querem ganhar brindes… E faça um grande favor a si mesmo: desconfie de alguém que se levanta e vai embora depois de um sorteio de brindes e afaste-se daqueles que sequer comparecem a um evento maravilhoso que não teve brindes para sortear (D=). Ok, todo mundo quer vender seu peixe, eu sei… Eu também quero e porque não? Mas, com certeza absoluta, não é isso que me motiva a me aproximar desta ou daquela pessoa.

Neste ano conheci muita gente no virtual e no real, o Caderno saiu daqui e foi dar um rolê na rua e gostou de muito do que viu mas também viu coisas não tão belas que me fizeram decidir o destino do Caderno em 2012. Decidi que não vou farei sorteios para atrair mais “seguidores”, quem quizer acompanhar o Caderno fique absolutamente à vontade, novos amigos são sempre bem vindos, e já que isto aqui é um veículo de troca quero por perto pessoas que gostem de ler o que eu escrevo, leitores portanto. Definitivamente não quero seguidores em troca de brindes isto é totalmente fora do meu propósito! Quem tem seguidor é seita minha gente! Por isso não sigo ninguém, eu acompanho os blogs de quem é meu amigo na vida real ou de quem escreve bem algo relevante para minha vida. Nada mais justo que seja assim já que é dela que retiro precioso tempo para fazer estes bordejos virtuais.

Quando uma coisa não dá certo de primeira é melhor não insistir, pois na grande maioria das vezes você só perde muito tempo e paciência, coisas que não devem ser desperdiçadas. Outra coisa que preciso escrever na mente para não esquecer nunca mais: confie na sua intuição! Confie na sua experiência, não deixe o meio interferir em coisas que você sempre fez do seu jeito e sempre deram muito certo! Não se deixe levar pelas aparências, muito do que parece não é e vice-versa! Ainda é possível se surpreender positivamente.

Verdades verdadeiras: Santos é um ovo!!! Todo mundo se conhece e a vida dá sempre muitas voltas e como dizia minha avó que “aquele que se abaixa demais deixa as ceroulas aparecendo”.

Aprendi que quando se deseja realmente fazer algo de significativo pelo próximo é possível realizar sem mesmo sair da sua zona de conforto, e muitas vezes ninguém precisa saber, basta que seu coração esteja ciente.

E por fim: amigos antes poucos e bons do que muitos sem sentido. Agradeço aqueles que fazem parte disso aqui no virtual e no real, não preciso nem citar nomes, vocês sabem quem são.

<3 <3 <3

Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

8 thoughts on “Das coisas que aprendi com o Caderno em 2011

  1. Nossa, se tem algo que eu aprendi esse ano é que é mil vezes melhor ter poucos amigos verdadeiros, do que muitos sem sentido, assim como vc disse!
    Esse ano foi tão maravilhoso pra mim!
    Beijocas,
    May ;*

  2. É os posts de natal… o espírito festivo sempre renovando nossas esperanças e fortalecendo nosso amor. Creio que a única lição que sempre fica e sempre ficará é a mesma de todos os meus finais (e balanços) de ano: semeando, gerando e compartilhando o bem, sempre volta o bem. É isso que realmente vale a pena e me move! O resto fica no que é resto, porque o que importa mesmo são as verdadeiras relações.
    Beijos amiga!

  3. Lindo seu texto!

    Adorei tudo o que você escreveu e gostei mais ainda de você ter feito essa reflexão. Não sei você, mas eu tenho o costume de pensar no que eu quero fazer no ano seguinte, fazer um milhão de planos, pensar no que eu já realizei, mas são raros os momentos em que eu paro pra refletir sobre o que eu tirei de cada uma das experiências. E, no fim das contas, é justamente isso o que interessa, né?

    Beijos!

  4. Quando comecei a escrever no meu blog nunca imaginei as coisas que eu viveria por causa dele, as pessoas que conheceria e o que eu aprenderia! Adorei o post, muito bom mesmo!

  5. Muito legal, Anna…fui lendo e refletindo junto com você. Me identifiquei muito com o que escreveu, até porque, foi também nesse ano que o meu blog começou a sair do virtual para o real e tive a mesma impressão que a sua.
    Aprendemos, sempre. E que essa experiência de 2011 nos fortaleça para 2012 ser melhor ainda!
    Ah! E não posso esquecer de dizer foi um prazer conhecer você! <3

Comente