moda

Falando de moda: Felipe Borges

Felipe na sua última viagem à China
Felipe na sua última viagem à China

Meu querido amigo Felipe Borges, 38 anos , é santista radicado em São Paulo. Designer de acessórios e figurino, autodidata e talentoso, dono da marca Felipe Borges Acessórios, já fez designer para Levis Strauss, e  está atualmente colaborando com as marcas LuiMarcell , 2LU na empresa DS Import.

Caderno: Felipe sendo você um designer autodidata , talentoso e bem sucedido como você vê este aumento na procura pelos cursos de design e moda atualmente?
Felipe: Acho incrível quando as pessoas procuram aprender algo do que gostam de verdade ,mesmo que no meio do caminho você mude de opnião ficará uma bagagem importante. Eu mesmo estou fazendo faculdade , na verdade a minha 1ª a em moda, acho essencial a renovação de ideias ,trocas e aprender algo novo ou reciclar suas próprias  referências .
Caderno: Seu atual trabalho lhe proporciona a oportunidade  de viajar muito em busca de novas tendências, como tem sido esta experiência?
Felipe: Hoje eu colaboro para uma empresa de importação e exportação onde desenvolvo na China bolsas femininas e práticas para as marcas Lui Marcell e 2LU ,acessíveis com informação de Moda ,atuais  e com acabamentos ótimos.
Caderno: Você acabou de chegar da França, me conte,Paris é mesmo a cidade Luz? Lá se respira moda de verdade?
Felipe: Ah Paris e incrível realmente ,você respira arte e moda por todos os lados tanto nas vitrines das galerias assim como nas ruas em  comportamento e estilo ,porém Moda de verdade está em todos os lugares onde existe originalidade eu acredito ,moda reflete em comportamento o pensamento do ser humano.A moda surgiu na Franca, mas não só isso me atrai a Paris .
Caderno: Recentemente você também esteve na China? Um país tão populoso lida de que maneira com a moda? Ainda é tradicional, mantendo as raízes, ou se deixa influenciar pelas tendências ocidentais?
Felipe: Conhece o ditado “onde de se faz o trigo nao se come o pão “? As chinesas são bem tradicionais , as cores sao bege , preto , cinza .
Eles adoram etiquetas famosas , fato .Gucci,Louis vuitton e Chanel são os objetos de desejo de homens e mulheres.
As mulheres mais modernas que usam cores berrantes não são bem vistas, la sociedade chinesa e extremamente patriarcal .
Mas ainda há algumas chinesas que  vestem-se com roupas de noite durante o dia com brilhos e rendas. Os chineses são um povo acolhedor e alegres com a vida .
Tenho aprendido muito convivendo com eles, como nós brasileiros eles  também são influenciados por outros países, sim.
 Caderno: Sem dúvida estas viagens devem garantir um material grande de inspiração para o trabalho na Ds Import  mas, no fim das contas, serve também de bagagem para sua marca pessoal?
Felipe: Acho que a minha marca pessoal não esta apenas na minha etiqueta mas sim no produto que me proponho desenvolver  , ou seja não contem meu nome diretamente mas tem o meu DNA , meu toque .
A minha pesquisa para realizar essas coleções e bem grande uma vez que a ideia termos produtos para todos os tipos de mulheres.
Caderno: E falando da sua marca, eu sou bastante suspeita para falar já que tenho uma coleção de bolsas suas, as inspirações variam de coleção para coleção seguindo as tendências ou o estilo é seu, próprio?
Felipe: Quando crio algo pelas minhas mãos nao me prendo a nada ,nem cor , material  tudo pode .Acho o processo de laboratório importante para desenvolver detalhadamente novos acabementos .
Caderno: O que eu observo é que as suas peças são em grande parte atemporais, tenho peças de duas coleções pra trás que ainda uso e tem gente que me pára na rua, comentam “nossa que fashion” “isso é tão up tpo date” e por aí vai… Seu objetivo final é esse? Que a mulher tenha uma peça atemporal?
Felipe: Sim ! Bingo ! Quero que dure bastante e que tenha personalidade própria  mas nao sobreponha o estilo pessoal da mulher .
Fico muito contente quando quem possui uma bolsa minha recebe um elogio ,fico tão feliz quanto quem usa a bolsa .
Caderno: A originalidade é realmente um dos diferenciais do seu trabalho, o que você tem desenvolvido para a empresa Ds Import se parece neste aspecto com o que você costuma realizar para a sua marca?
Felipe: A colaboração para a DS Import  é mais focada, o público alvo direcionado, cartela de cores definidas e toques de tendências internacionais , moda acessível e bem desenvolvida .
Possuo total liberdade de propostas de criação , escolhas materia prima e desenvolvimento do produto ,fazemos varias reuniões online para aprimorar a coleção .Estou numa fase mais tecnológica na minha carreira .
Caderno: a sua última coleção foi a “Floresta” de 2010 eu mesma já estou com saudades do seu trabalho, você pode nos dizer se vem novidades por aí? Você tem planos de voltar com a marca?
Felipe: Sou um escorpiano focado então quando decido algo visto a camisa do projeto e vou ate o final , por isso minha marca pessoal assinada esta em stand by .Estou vivendo uma experiência única que imagino ,me coloca no mesmo nível com outros designers modernos por que desenvolver na China diretamente na fabrica esta enriquecendo o meu repertório .
Caderno: Eu costumo dizer que eu gosto do que é bom mas não sou muito de seguir a moda à risca, procuro ter um estilo próprio mas nem me arrisco a falar sobre o assunto. O que você acha desta onda de blogs falando sobre moda?
Felipe: Então , só  acho chato quando as pessoas tentam ditar algo , como isso legal ,aquilo não …pelo amor !Tudo pode ser interessante , o ‘isso não’ para mim pode ser ‘adorei ‘ para você ‘ …let it be !
Mas estamos falando da geração Y , informação descartavel  a qualquer custo porém aprofundar-se em algum tempo faz toda a diferença .
Caderno: Você acha que qualquer pessoa que acompanhe as tendências nas revistas  pode escrever artigos sobre o assunto ou deveria ser uma atividade para profissionais e estudantes de moda?
Felipe: Esteja livre para escrever o que você quiser sem impor a sua opnião,acredito que  um bom jornalista deve agir assim .Ética jornalistica e saber o assunto sobre o qual voce esta escrevendo ,ok?!
Caderno: E o que você diria Felipe para os jovens estudantes de moda e
design que estão começando?
Felipe:Faça o seu melhor , seja original, erre , comece de novo , redesenhe, experiente , seja do contra mas não ao extremo ,pesquise ,seja curioso e destemido. Moda é business e marketing .Crie para as outras pessoas nao somente para você .
Aprenda a arte do desapego , nem todos vão gostar do que voce adora com a mesma intensidade, acredite em você .
Caderno: Agradeço muito a sua atenção Felipe te desejando sempre mais e mais sucesso!
Felipe: Sucesso para todos nós , amiga .
Se interessou pelo trabalho incrível do meu amigo Felipe? Então dá uma olhada no portifólio:
Desfile pontal com 2 modelos de bolsas Lui Marcell coleção primavera –
verão 2011
Anna Carla

Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

4 thoughts on “Falando de moda: Felipe Borges

Comente