cotidiano

Alinhamento

Minha mente anda povoada de imagens que me levam para tempo algum. Atemporais, coloridas como filmes em branco e preto colorizados por computador.

Talvez isto seja um reflexo dos filtros nas câmeras de telefones modernos. Reflexos… às vezes não me reconheço nem na imagem do espelho, embaçada e confusa como se eu tivesse acabado desligar o chuveiro. Dizem que é a idade, acontece quando a do corpo avança e a da mente não, será?

Tenho procurado sem melancolia viver o presente, estar presente sem ao menos sentir saudade.

Meus filhos em sua “lindeza progressiva continuada” me mantém no agora, curtindo cada pedacinho de infância e ingenuidade ao assistir de camarote a sutileza do crescer.

Estou sentindo necessidade de alinhar estas imagens, sentindo a textura do papel e um lápis entre os dedos…Voltar a desenhar? Quem sabe.

Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

Comente