direito

Armários sem portas

Ontem não se falou em outra coisa: o vereador Carlos Apolinário do DEM de SP propôs a instituição do Dia do Orgulho Hétero,  projeto de lei que foi aprovado na Câmara de Vereadores e segue para a apreciação do Prefeito Kassab.

Carlos Apolinário,  que por coincidência é Evangélico que inclusive, sofria preconceito e por isso e que tinha vergonha de carregar a Bíblia (oi?!), afirmou ontem em entrevista ao site  Carta Capital que “se o cara não quer sair do armário, deixa ele no armário pô!” 

O que não se percebeu ainda,  é que este espaço conquistado pelos gays não cabe mais dentro de armário nenhum, não vai ser a instituição do “dia do orgulho  hétero” ou como disse um amigo no Twitter“dia do orgulho das mariposas com caspa do Mar Egeu” não vai mudar nada! Não vai fazer diferença alguma!

Os gays estão aí, vivendo, trabalhando, gerando empregos, pagando impostos e então porque raios eles não podem ter os mesmos direitos dos outros cidadãos??? Porquê não podem adotar? Ter dependentes no INSS? No plano de saúde? Porquê não podem tornar pública sua felicidade conjugal, através de um documento que assegure direitos???  Felicidade sim! Porque se tem uma coisa que ninguém consegue impedir, mesmo com todo o preconceito e dificuldade, é a felicidade que o amor que eles sentem uns pelos outros proporciona!

Esse projeto de lei visa equiparar os “privilégios” conquistados pelos gays mas, espere aí vereador, o que o senhor chama de privilégio é a conquista de direitos que os héteros sempre tiveram e até então eram negados aos gays simplesmente por eles serem como são!

 Na concepção do vereador os cofres públicos estão abertos para receber as contribuições dos gays desde que eles paguem seus impostos trancados dentro de seus armários, é o fim da picada!

Não dá mais para fingir que gay não existe vereador, não dá pra mandar meu entregador de gás voltar pra dentro do armário (sim, tem até entregador de gás gay!), vereador, os armários não tem mais portas.

Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

Comente