cotidiano

Sling: praticidade ou dilema?

Acho lindo quando vejo uma mãe carregando o bebê no pano!

Acho tão lindo, tão bacana, tão ecológico, tão maternal e tão, tão, tão, tão confuso!!!

Assim que meu filho nasceu minha mãe me presenteou com um sling de argolas, muito bonito por sinal, um pano bacana num cinza super neutro. Pensei: vai ser uma mão na roda pra buscar minha filha mais velha na escola basta colocar o bebê no pano e lá vou eu toda faceira e com as mãos livres! Pois, é… não rolou.

Quando o bebê era pequeno ele só ficava no sling se estivesse mamando no peito ao mesmo tempo e lógico que não fui buscar minha filha na escola expondo meu peito 48 na medina correndo o risco de arder no mármore do inferno!

Depois com ele mais crescidinho, perto dos 5,6 meses continuei tentando mas…Também não rolou. Não sei o que é, se o problema sou eu, ele ou o pano, só sei que ele não fica parado no pano de jeito nenhum. É como se ele ouvisse o Capitão Nascimento: “pede pra sair! Pede pra sair!!!” E o menino fica inquieto procurando uma maneira de se libertar do pano.

Recentemente tentei de novo. Agora é cômico, ele mexe em tudo, quer tirar meus brincos, puxar meu cabelo, uma loucura! Lavar uma louça? Nem pensar! Ele fica querendo a esponja, a água, o sabão, rsrs…

Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

Comente