cotidiano

Tem coisas que somente  o tempo e a distância podem conceder.

Quando se está longe os defeitos se atenuam, as más lembranças se dissipam e o perdão pode se dar ao luxo de aparecer.

A saudade também dá o ar de sua graça nesta oportunidade.

O tempo e a distância podem ser altamente benéficos para poder dizer “estou bem, está tudo bem”.

Já disse aqui que meu coração tem vários endereços, que muitas vezes sinto que ele vive apartado de mim. Isso não é ruim não, porque quando meu coração chega perto e se completa, e se vê inteiro ele é só amor e só Deus sabe como faço pra viver “aos pedaços”.

Recentemente me despedi de uma amiga querida que em sua distância se fez inteira e tão capaz de amar e perdoar,  coisas que só a “lonjura” pode dar…

Esse meu pedacinho de coração veio e já foi mas, não me entristeço porque sei que logo mais tem outra parte do meu coração regressando.

Segue o link para o final de um dos meus filmes preferidos. Cena linda que materializa um pouco das benesses da “lonjura”.

Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

Comente