cotidiano

…entre a cruz e a espada.

Antes de começar a ler, aperte o play.

 Às vezes eu me pergunto o que aconteceu comigo nos últimos anos. Este questionamento se itensifica quando me deparo com meu semblante notoriamente infeliz e sombrio em fotografias.

Tomei lambadas da vida e adoeci, na mente, no corpo e no espírito. Busquei a cura de várias formas e melhorei de fato mas outras lambadas me tomaram de assalto e bambeei, mas não caí. Não ainda. E nem pretendo.

Mergulhei de cabeça em um novo trabalho, e como se sabe  um trabalho novo é como um filho, você tem de alimentá-lo na hora certa, limpar-lhe as fraldas, dar carinho, brincar, banhar, por pra dormir. Mergulhei tão fundo nisso que perdi um filho de verdade (mais uma lambada da vida), sofri um aborto espontâneo em outubro passado (que belo presente de aniversário, não?) e mais uma vez me entristeci profundamente.

Contudo ainda tinha o trabalho, não mais tão novo, nem tão atraente financeiramente mas ocupava minha cabeça e me mantinha funcionando, apesar toda a falta de acolhimento e frieza que me era oferecida aos baldes.

Como que em resposta a isto  meu corpo resolveu reagir se transformando numa morada tranquila e acolhedora de amor e eu engravidei. Sim, estou grávida, cada dia mais.

Hoje estou na décima sexta semana de gestação de  um bebê saudável de sexo ainda desconhecido. Estou feliz, genuinamente feliz mas por que raios o meu semblante ainda  não transparece essa felicidade???

Aquele trabalho, já não tão novo, mudou, está de cara nova, sob nova direção e me dando agora o acolhimento que não tive até então. Estou feliz com isso, genuinamente feliz  mas por que raios o meu semblante ainda  não transparece essa felicidade???

Uma gravidez é sempre fonte de muita transformação e incerteza no corpo, na vida e na alma da mulher. Comigo obviamente não está sendo diferente, estou insegura e com aquela sensação de invasão interior tão natural nesta fase da vida mas ainda acho isso bom. Me sinto plena e preparada pra receber este bebezinho que se desenvolve no meu ventre no seio na minha família e na minha vida como um todo.

O que eu ainda não consegui descobrir é se estou preparada pra acalentar novamente o outro bebê, o bebê/trabalho para que ele finalmente se desenvolva como merece.

Refletindo muito sobre tudo, a vida, os trabalhos, meu casamento, minha filha que cresce cada dia mais linda e minha saúde cheguei a conclusão que estou entre a cruz e a espada.

Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

3 thoughts on “…entre a cruz e a espada.

  1. Moça, você já deve ter lido pelo meu blog que minha irmã já sofreu abortos. Mesmo “sabendo” (entre aspas, muuuitas aspas) o sofrimento que é isso, sempre a disse que quando ela estiver definitivamente preparada em corpo e espírito – principalmente nesse último -, o filhote virá rapidinho, independente do restante do mundo (trabalho, família, blá blá blá). E cá está você, com um filhote por vir. Esqueça o restante um pouco. Curta esse período que, você bem deve saber – afinal, é o segundinho! -, é mais importante que qualquer outro.

    Parabéns!!

Comente