cotidiano

O BBB é 10! A torcida, nem tanto.

Quando começou esta edição do programa pensei que seria bacana ver finalmente a diversidade na TV. 

Quando Marcelo Dourado entrou pensei “que ousadia Boninho”, afinal, colocá-lo nesta situação de ter de conviver pacificamente com os alvos de seu sabido preconceito por um milhão e meio é certamente correr um sério risco de jogar “titica” no ventilador.

O que eu não imaginava é que a titica maior seria derramada aqui fora, com torcidas se engalfinhando na internet na defesa de um homem que tem seus defeitos conhecidos pelo grande público já que é a sua segunda vez na casa mais vigiada do Brasil. 

Eu penso que ninguém é de todo bom, nem de todo mau, todo mundo tem um pouco de tudo e com o pessoal do BBB não é diferente, mas eu acho muita cara de pau de alguns torcedores em defender o Dourado como se ele fosse a síntese da perfeição, o protótipo perfeito do homem macho brasileiro.

Gosto do Marcelo, acho ele é um cara batalhador que talvez tenha saído cedo demais do BBB4. Fiquei feliz porque ele ganhou um carro, porém não consigo engolir seu preconceito e sua grosseria gratuita com os gays. 

Queria muito a Morango na final, gosto dela, por sua coragem e integridade, mas acho difícil disto ocorrer simplesmente porque ela é gay.

Tenho certeza que o massacre realizado contra ela pela torcida de Dourado, endossado pela edição do programa (aqui abro este parênteses para dizer que concordo com a Susan, o Dourado já está com este milhão e meio no bolso) não estaria ocorrendo se ele tivesse agido da mesma maneira com uma garota heterossexual como a Fernanda ou a Maroca por exemplo. 

Lembro-me que outro machão quase colocou seu prêmio a perder porque foi terrivelmente grosseiro com uma menina de apenas 19 anos, o Brasil inteiro ficou passado com tamanha ignorância. 

A única coisa boa que vislumbro deste crescimento do Dourado no jogo é a vilã  Lia, que vem minguando a cada edição. 

O jogo poderia estar mais bonito, com menos estupidez tanto da parte dos participantes como dos torcedores.

É uma pena, Boninho podia ter feito uma edição para entrar para história da TV onde a tolerância conviveria com o jogo aberto, mas não é possível simplesmente porque somos todos humanos.

Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

1 thought on “O BBB é 10! A torcida, nem tanto.

  1. Abandonei um pouco o Big Brother, porque simplesmente não consigo engolir um sujeito desses como o favorito. E, principalmente, não consigo engolir que ele só é o favorito porque muita gente se identifica com ele, e o idealizou de tal forma que chega a ser vergonhoso. Quando Morango saiu, eu chorei. Sim, estava “brava” com ela pois achei-a injusta com a Elenita, mas ela iria muito longe se não fosse esse palerma. E agora, Cacau, a melhor ali dentro, pode sair também. Depois desses baques, eu acho melhor abandonar, pois Big Brother deixou de ser, para mim, algo divertido. Uma pena, pois essa edição poderia render mil vezes mais.

Comente