cotidiano

O sonho

Não sei se foi uma forma de agradecimento, não sei se foi um reflexo por eu estar revirando seus pertences para atualizar as coisas, não sei se foi por me sentir tão íntima de seus pensamentos novamente, não, eu não sei o motivo.

Talvez eu esteja enfim apaziguando a minha dor, talvez a ferida esteja afinal cicatrizando, tranformando-se apenas em uma inofensiva saudade.

Depois de muitos, muitos anos, esta noite tive um sonho bom com meu irmão. Abracei forte, segurei seu rosto entre minhas mãos, chorei de emoção e expressei verbal e claramente a ele a sua falta na minha vida, falei de como minha saudade é grande e de como  meu coração esteve amargurado por tanto, tanto tempo em razão de sua perda. Senti seu cheiro, toquei  seus cabelos e era tão, tão real! Não sei porque lhe dei os parabéns (???), acho que sonhos às vezes podem ser confusos. Ele sorriu, me agradeceu (???), disse que me amava, que me compreendia porque também sentiu falta, abraçamos forte novamente, o cheiro, o toque, a voz, tudo muito real. Ele vestia azul e eu estou feliz.

Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

1 thought on “O sonho

Comente