cotidiano

O dia em que a fila voltou a me assombrar e buh! Não era nada demais mamãe.

Ontem foi um dia meio que dedicado a minha filhota, tive que agilizar umas coisas de trabalho cedo para no início da tarde ir a uma reunião de pais e mestres na escola e a jornada ainda tinha na sequência uma visita de rotina a pediatra.
Rotina? Isso era o que pensava até que ao chegar na escola avistei minha menina saindo do refeitório, atravessando o parque e se dirigindo à casinha de bonecas (algumas das razões por mantê-la numa pré-escola da prefeitura, istodáumpostàparte) com seus amigos, em fila.
Ah, a famigerada fila escolar retornou das cinzas pra me assombrar! Minha menina que para mim está cada dia maior era, como eu fui por muito tempo diga-se de passagem, a primeira da fila.
Durante a reunião a direção falou sobre a organização da festa junina, sobre arrecadação da APM e sobre a rotina, alimentação e a proposta pedagógica da escola (sim, mais razões para ela estar lá), depois a professora divulgou os trabalhos dos alunos, falou sobre comportamento, alfabetização, projeto de incentivo à leitura quando eu a interrompi e perguntei sobre a escrita espelhada, que vem ocorrendo esporadicamente com minha filhota. Ela disse que é normal e que mais de 80% das crianças nesta faixa etária se apropriam das letras como símbolos e os escrevem espelhados na fase de pré alfabetização, é a chamada escrita espontânea. A professora disse: relaxa mãezinha, a Sofia vai muito bem obrigada, sua pré alfabetização está ótima, ela só fala demais” (como eu diga-se também).
Relaxei, assinei os papéis, pois já estava preocupada com o horário na homeopata/pediatra me despedi de todos e avistei novamente: ela, a fila! Com a minha garotinha na frente seguida por crianças cada vez maiores, altas, fortes, não gordas, fortes mesmo, crianças grandes.
Rumei para a pediatra com aquele fantasma na minha cabeça ‘ela também é a primeira da fila, logo vão zombar dela’, ‘será que o crescimento dela está normal?’, na ultima consulta no fim do ano passado a médica disse que ela teria de atingir 1 metro de altura antes dos 5 anos, acho que ela está longe demais disso’…
Minha preocupação não é a toa, ela se dá porque minha filha não bebe leite, não por alergia, por opção, ela mamou o meu leite por 1 ano e 4 meses e depois rejeitou os outros, só bebe soja. Será que ela terá uma deficiência de cálcio? E a imagem apavorante da fila não me saía da cabeça…
Conversei com a médica sobre alimentação, sobre os benefícios do própolis, vacinação, o último resfriado, comportamento e até sobre a escrita espelhada. A doutora pediu exames de sangue e raio X dos punhos e disse que pela alimentação ela está ótima, caso os exames resultem alguma deficiência de cálcio pensaríamos numa alternativa.
Eu cuido para que ela não coma carnes exageradamente (eu acho que tem muitos hormônios), se comeu carne ou frango na escola, em casa não repito, o leite ela leva o de soja, come verduras, legumes, frutas, pão, biscoito integral, queijo, enfim, tento alimentá-la de um jeito balanceado, como toda mãe tento fazer tudo certo, pelo menos faço o meu melhor. Finalmente a médica disse vamos examiná-la, checou respiração, ouvidos, olhos, garganta, barriga, até aqui tudo maravilhoso, agora vamos para a balança medir e pesar…música de suspense na minha cabeça, a doutora não disse nada apenas anotou umas coisas , me chamou pra outra sala e lá ela disse: ‘lembra que eu falei que o normal seria atingir 1 metro de altura antes de completar 5 anos? Então, faltam pouco mais de dois meses para aniversário de 5 anos, ela está com 1 metro 1 centímetro e engordou quase 2 quilos desde a ultima consulta, relaxa mãe! Lembre-se que tem a sua genética por trás, que alimentação dela é baixa em hormônios já que você evita produtos industrializados e manera nas carnes e além do mais ela ainda não chegou na idade do estirão que é a partir dos 8,9 anos, vamos fazer os exames só por desencargo de consciência, mas a Sofia vai muito bem, obrigada.’
E aí eu me pergunto quantas vezes uma mãe tem que ouvir isso para ganhar a certeza de que está tudo certo???
O dia em que a fila voltou a me assombrar e buh! Não era nada demais mamãe.
*foto tirada por mim nas férias em abril de 2009, chocolateria Toco em Campos do Jordão.

Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

Comente