cotidiano

Ricardo

Fazem 16 anos e ainda sentimos sua falta.
Você sabe que falta é diferente de saudade né? Falta não acaba e saudade a gente mata.
As coisas por aqui estão um pouco diferentes mas na essência continuamos iguais.
Uma amiga me disse que depois que a gente morre a gente vira conteúdo, eu te agradeço por ter feito o meu conteúdo um pouco melhor. Com isso posso passar um pouco do seu conteúdo adiante.
Sabe, eu tenho uma filha, linda, geniosa e linda, adora teatro como eu na idade dela.
Mamãe decidiu que não vai morrer, que vai acabar.
E daqui a uns 30 anos, quando isso acontecer, ela me encarregou de fazer com que ela vire purpurina, vê se pode? Ela póóóóde! Rsrsrs…
O mano está bem, eu acho. Vive naquela vida de sempre, cheia de altos e baixos, mas está bem.
Nos reunimos no último domingo na esperança de que nós três juntos fizéssemos a tua falta menor. E você não foi assunto, foi só sentimento.
Estamos bem.
Você eu sei que está bem, na luz.
Te amo, pra sempre.
Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

Comente