cotidiano

“O homem que desafiou o Diabo” e a minha paciência também!

No último fim de semana assisti, ou quase, a comédia “O Homem que desafiou o Diabo”, um filme de Moacyr Goes baseado no livro do escritor potiguar Nei Leandro de Castro “As pelejas de Ojuara”. Digo quase porque tive vontade de mudar de canal inúmeras vezes.
Para quem espera se divertir com um filme similar as adptações da obra de Suassuna, com texto inteligente, engraçado com interpretações cativantes e impagáveis se decepciona.
A única coisa que nos remete a filmes excelentes como “O Auto da Compadecida” por exemplo, é o cenário agreste, “o Homem” foi filmado no Rio Grande do Norte e exibe belas imagens do nosso sertão.
O filme conta com Marcos Palmeira como protagonista em atuação pífia e sem carisma. É fato que não podemos crucificá-lo afinal o texto é mesmo muito, muito ruim, a linguagem apelativa com palavrões a torto e a direito nos remete ao antigo cinema nacional ruim e sem nenhum estilo.
O filme não chega a ser nem um “bom filme trash”, é apenas um desperdício de tudo, bons atores, cenário, figurino e verba, muita verba. Me senti desperdiçando meu tempo. Uma pena.
Se você ainda quer formar uma opinião e tem tv a cabo “O homem que desafiou o Diabo” foi exibido no último fim de semana pelo Canal Brasil e deve ser reprisado.

Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

Comente