cotidiano

Liberdade colorida.

Abri a porta e ela estava lá, pousada delicadamente na folha verdinha brilhante.
Asas multicoloridas e desenhadas.
Xiii, ela me viu, ou sentiu.
Alçou vôo, deu um passeio pela varanda de concreto como que anunciando a liberdade vindoura.
Fez quer ia embora, mas não foi.
Dançou diante dos meus olhos tremelicando o colorido encantador de suas asas.
Com ar de despedida rodopiou em meu redor e saiu pela rede de proteção.
Desprotegidamente livre.

Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

Comente