cotidiano

Manhã

E chove.
Sinto o perfume da terra molhada,
ouço a melodia profusa do gotejar insistente da água na lanterna.
Dentro de mim as notas sentidas de Piazzolla se confundem.
Olho pela varanda enquanto degusto uma xícara de chá.
E chove, os carros passam enquanto a montanha enevoada se beneficia do tempo que não é mau.
Espremo as folhas de hortelã no fundo da caneca no ritmo do meu tango interno.
Termina o chá e o meu dia está só começando.

Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

Comente