cotidiano

A elite da tropa.

Depois de um dia cheio de trabalho dentro e fora de casa ontem, fui brindada com um fim de noite bem bacana, jantar fora e cinema com o maridão.

Como sempre atrasados assistimos ao “Tropa de Elite”. Muito tem se falado de Wagner Moura e seu Capitão Nascimento, de fato ele está ótimo e o personagem é rico mas quero dar minha coroa de louros ao jovem ator Caio Junqueira, que interpeta o personagem Neto.

Poucos se lembram mas ele atua desde muito cedo, ele é filho do ator Fábio Junqueira e irmão de Jonas Torres, o eterno bacana de “Armação Ilimitada” aliás, foi nesse mesmo seriado que Caio também iniciou sua carreira porém com uma participação mais tímida em 1988. Acompanho este menino desde então e posso dizer que ele vem se aprimorando a cada trabalho e no filme ele está realmente muito bem, diria até que ele é um dos melhores atores de sua geração.

Atualmente ele está na novela das 18h da Globo, Desejo Proibido, num papel pequeno.

Quanto ao filme, é bom, muito bom. Continuo achando que a cópia que “vazou” antes do lançamento oficial foi uma puta estratégia de marketing que tem tudo a ver com o tema do filme.

Gostaria que este filme tivesse um efeito drástico e libertador como o do documentário “A carne é fraca” e abrisse a mente das pessoas que acham que “um baseadinho só não tem problema” e elas compreendessem que a mão que acende um cigarrinho de maconha é a mesma que dispara o gatilho da arma na favela.

Sabe, nunca fui muito bem compreendida por ser careta neste aspecto, nunca usei drogas nem pretendo por uma questão filosófica e sociológica, acho que tenho um pouco ou talvez muito de Capitão Nascimento dentro de mim.

Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

1 thought on “A elite da tropa.

  1. Vi o filme por quatro vezes…
    Gostei, mas já cansei de falar sobre o filme! rsssss…
    Toda mesa de bar é isso, vamos discutir o filme. Não.

    Só deixa a mensagem que gostei muito.
    rss..

    Bj grande.

Comente