cotidiano

A ventania e suas respostas

Hoje à noite quando caminhava para casa levando minha filhinha pela mão fomos arrebatadas por uma ventania inesperada e deliciosa.
Não é de hoje que converso com o vento, desde garota ouço com facilidade suas palavras, é certo que algumas vezes não tive maturidade suficiente para compreender exatamente o que esta voz queria me ensinar, mas hoje, às vésperas de completar trinta e quatro anos e na companhia da minha pequena notável de três obtive muitas respostas.
Primeiramente a reação de prazer e surpresa de minha filha ao sentir o vento tocando nossos corpos e cabelos, bagunçando tudo, tirando as folhas secas do chão e fazendo as árvores dançarem sob seu ritmo me fez concluir que sou muito feliz entre outros motivos…por tê-la comigo! Por ter a dádiva de ser sua mãe, uma garota marota com ares de sabida, de cabelos dourados e olhos encantadores! Sem dúvida sou uma mulher plena por ter nutrido em meu ventre esta criaturinha maravilhosa que é a minha filha, uma companheira que muitas vezes age como se fosse minha mãe, cheia de cuidados e amores.
A dança das árvores me fez perceber que como dizia a letra da canção é melhor ser “uma metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo”, e o vento me disse:
“ – Seja como as árvores, dance ao sabor das mudanças, seja flexível sem desrespeitar sua forma original e suas raízes.”
As folhas secas voando pelo ar e a bagunça de nossos cabelos me fez não querer ser perfeita, e o vento me disse:
“- Seja o que você é, não busque uma perfeição hipócrita, utópica e sem graça. Não fique a espera do respeito alheio, respeite você quem você é e acredite que no meio de toda esta bagunça existe uma perfeição aos olhos da Energia Divina.”
E ao chegar próximo do meu portão a ventania cessou.
Minha filha disse:
“- Puxa mamãe só ventou no nosso caminho não é?” e eu respondi:
“- É filha, só ventou para que percebêssemos como somos felizes.”
” – Eu sou feliz mamãe.”
“- Eu também.”
E com a calma da noite ficamos em paz.

Anna Carla
Mãe, advogada e blogueira. Amo gatos, plantas e vida simples. Escrevo por prazer.

1 thought on “A ventania e suas respostas

  1. O vento é um balet de emoções, realmente. Adoro este romance que ele pode proporcionar, e que só por ventar, já se faz bonito.

Comente